Ryan Lochte deixou o país antes de pedido de apreensão de passaportes

A Polícia Federal confirmou nesta quarta-feira que o nadador Ryan Lochte, acusado de mentir sobre assalto que teria sofrido no Rio de Janeiro, já deixou o país rumo aos EUA, de acordo com informações de "O Globo".

A viagem ocorreu na última segunda, dois dias antes da PF proibir sua saída do Brasil ao pedir a apreensão de seu passaporte.

A juíza Keyla Blank, do Juizado Especial do Torcedor e de Grandes Eventos, foi a responsável por proibir os atletas envolvidos de saírem do Brasil (além de Lochte, James Feigen, Gunnar Bentz e Jack Conger). A Polícia Federal cumpriu mandato de busca e apreensão na Vila Olímpica mas não encontrou Lochte.

Já James Feigen estaria em um hotel da Cidade Maravilhosa. Os outros dois nadadores citados na história ainda não foram ouvidos pela polícia.

O caso

Ryan Lochte e James Feigen, que alegam ter sido assaltados no Rio de Janeiro na madrugada do último domingo, deram depoimentos contraditórios à Polícia Civil.

Ambos alegaram ter deixado uma festa às 4h de domingo, mas só chegaram à Vila Olímpica quase às 7h, de acordo com imagens captadas por câmera de segurança que fica na entrada do local em que os atletas se hospedam durante os Jogos, obtidas pelo jornal inglês "Daily Mail".

As imagens fazem parte da investigação conduzida pela Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat) do Rio. Segundo a polícia, os nadadores não aparentavam ter passado por problemas momentos antes.

Segundo a polícia, outra contradição é a quantidade de homens a participar do assalto citada pelos nadadores. Lochte afirma que eram dois, enquanto Feigen apenas um, armado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos