Aranha usa habilidades do esqui para buscar o ouro no triatlo

Depois de competir no esqui cross-country nos Jogos de Sochi-2014, o brasileiro Fernando Aranha Rocha, de 38 anos, está confirmado na competição de triatlo da Paralimpíada do Rio-2016

- Quando tive a oportunidade de ir a Sochi para praticar do esqui cross-country, fui principalmente porque o meu objetivo era atingir os Jogos Paraolímpicos do Rio - admitiu Aranha.

- Eu usei essa experiência para melhorar o meu nível esportivo. Tinha que estar em um modo diferente de treinamento e me colocar em um ambiente competitivo - completou.

Ele disse que algumas habilidades e técnicas do esqui cross-country podem ser aproveitadas na prática do triatlo, modalidade que estreia na paralimpíada e reúne provas de corrida, natação e ciclismo.

- O esqui me ajuda muito nos movimentos da natação, principalmente para melhorar minha resistência. O movimento de puxar os pólos é semelhante aos movimentos da natação - disse ele, que sofreu poliomelite aos 3 anos de idade e perdeu o movimento das pernas. Retirado da companhia dos pais, depois de a Justiça ter decidido que eles não tinham condições de cuidar dos filhos, Aranha passou por abrigos e casas como a Febem, até que descobriu o basquete em cadeira de rodas aos 15 anos e passou a se dedicar ao esporte paralímpico de vez.

Aranha, oitavo colocado do ranking em sua categoria, espera alcançar o pódio no Rio. Todavia, a concorrência na categoria PT1 dos homens será dura. Ele terá de superar o favorito australiano Bill Chaffey, o holandês campeão mundial Jetze Plat e número 1 dos Estados Unidos, Schabort Krige.

No ano passado, o brasileiro terminou duas vezes no pódio: pela primeira vez no (UIT) Paraworld Triathlon, evento da União Internacional de Triatlo, em Detroit (EUA) e também no Campeonato Brasileiro de Triatlo, no Pará.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos