Ministério Público do Rio recorre por multa maior a nadador americano

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) suspendeu, no plantão desta sexta (19), decisão do Juizado do Torcedor e Grandes Eventos que havia multado o nadador americano James Feigen em R$ 35 mil. A revogação vem em atendimento a um pedido do Ministério Público do Estado (MP-RJ), que acredita que o valor da multa é demasiado baixo para a gravidade do delito cometido pelo atleta. Feigen foi autuado por falsa comunicação de crime após se envolver, ao lado de Ryan Lochte e outros dois nadadores, na polêmica do "falso assalto" na madrugada do último domingo (14).

O requerimento do MP-RJ solicita que a sanção a ser aplicada ao atleta seja definida não pelo Juizado do Torcedor e Grandes Eventos, mas sim pelo Procurador-Geral de Justiça. O órgão sugere, ainda, que o valor da multa seja elevado para R$ 150 mil.

A decisão tomada pelo TJ-RJ, porém, não surte efeito imediato. Afinal, Feigen já pagou a multa inicialmente aplicada, de R$ 35 mil, fazendo compras de materiais para reforma em uma das unidades do Instituto Reação, comandado pelo judoca Flávio Canto. Após o cumprimento dessa pena, o nadador, que estava com seu passaporte confiscado pela Justiça, foi liberado a retornar aos Estados Unidos, para onde embarcou na última quinta (17).

James Feigen, Ryan Lochte, Gunnar Bentz e Jack Conger estavam juntos na madrugada do último domingo (14), quando alegaram terem sido assaltados. Após confirmação do Comitê Olímpico Americano e da Organização dos Jogos, os nadadores foram convocados a depor sobre o suposto crime e acabaram se contradizendo.

Nos dias seguintes, vídeos gravados pelas câmeras de segurança da Vila Olímpica e de um posto de gasolina desmentiram a versão inicial dos atletas e esclareceram que o quarteto, na verdade, se envolveu em confusão com o segurança do posto após depredarem um banheiro do estabelecimento. Os quatro foram autuados por "falsa comunicação de crime".

Feigen, Bentz e Conger chegaram a ter seus passaportes apreendidos e foram impedidos de deixar o Brasil até que uma sanção fosse definida. Já Ryan Lochte embarcou no próprio domingo de volta a sua terra natal. Na última sexta (18), ele usou suas redes sociais para pedir perdão pelo próprio comportamento, mas não reconheceu ter mentido às autoridades brasileiras.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos