Brasil e Itália disputam a medalha de ouro no vôlei masculino. Siga!

A primeira edição dos Jogos Olímpicos na América do Sul está a poucas horas de ser encerrada. O clima já é de despedida da Rio-2016, mas nada que tirasse a vontade de alguns atletas em conquistar uma medalha no Brasil. Caso do queniano Eliud Kipchoge, da maratona. Competindo em uma das provas mais tradicionais das Olimpíadas, o africano se tornou medalhista de ouro ao cruzar a linha de chegada em primeiro, com tempo de 2h08min44s.

A manhã olímpica também foi ótima para a seleção masculina de vôlei dos Estados Unidos. Na disputa pelo bronze, os americanos aplicaram uma virada histórica sobre a Rússia, venceram por 3 sets a 2, e garantiram seu lugar no pódio do Maracanãzinho. No handebol, a Alemanha bateu a Polônia, por 31 a 25, e também faturaram o bronze na Cidade Maravilhosa.

Maratona

Como já era de se esperar, o ouro na maratona masculina ficou com um atleta do Quênia. Depois de percorrer os 42.195m em 2h08min44s, Eliud Kipchoge cruzou a linha de chegada do Sambódromo da Marquês de Sapucaí em primeiro e colocou a tão cobiçada medalha no peito. O melhor brasileiro na prova foi Roberto Paula de Almeida, que terminou a com o 15° tempo entre os participantes. A prova também marcou a última participação em Jogos Olímpicos de Marilson dos Santos.

Vôlei

Se na última final olímpica do vôlei, em Londres-2012, a Rússia conseguiu a medalha de ouro após aplicar uma virada histórica sobre o Brasil e vencer por 3 sets a 2, depois de estar perdendo por 2 a 0, no Rio de Janeiro a história foi diferente. Eliminada pela seleção de Bernardinho na semifinal, os russos provaram de seu próprio veneno na disputa pelo bronze.

No jogo que antecedeu a final olímpica, Estados Unidos e Rússia se enfrentaram no Maracanãzinho. Os europeus abriram 2 a 0 e tinham a medalha em mãos. A partir do terceiro set, porém, os americanos acordaram na partida, jogaram um vôlei de excelente qualidade e venceram por 3 sets a 2, com parciais de 23/25, 21/25, 25/19, 25/19 e 15/13.

Handebol

Incisiva e mortal nos contra-ataques, a seleção masculina da Alemanha faturou a medalha de bronze no handebol nesta manhã. Jogando contra a Polônia na Arena do Futuro, os germânicos triunfaram, por 31 a 25, e subirão ao pódio. Na tarde deste domingo, às 14h, a atual bicampeã olímpica França (algoz do Brasil nas quartas de final) defende o título contra a Dinamarca.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos