Cristóvão bate de frente com críticas após vitória: 'Pesado, mas não afeta'

Cristóvão Borges está no Corinthians há apenas dois meses, mas já conviveu com diversas reações da torcida: da ovação na apresentação, quando um gol contra o Palmeiras em seus tempos de jogador do Timão foi exibido no telão da Arena, às vaias nas últimas partidas em razão de substituições e da postura da equipe, que já não vencia há três rodadas do Campeonato Brasileiro. O treinador voltou a ser vaiado nesta segunda-feira, mesmo com a virada por 2 a 1 e os três pontos somados diante do Vitória. Desta vez, porém, Cristóvão reagiu às críticas que considera pesadas demais para tão pouco tempo de trabalho.

- Não é a primeira entrevista que vocês me fazem esse tipo de colocação, falando em exagero nas críticas. Está muito claro que não é para tudo isso, o time de 2016 não é o de 2015, é um time que está sendo refeito. Quando cheguei o trabalho estava assim, buscando uma maneira de jogar. Fala-se também da substituição do Tite, e isso já passou. Acho que está um pouco além da conta (a crítica), não tem necessidade, porque no campeonato não tem ninguém maravilhoso, todo mundo no mesmo nível. E nós estamos ali faz tempo. Acho que é um pouco pesado - posicionou-se Cristóvão, que chegou a ser vaiado por ter substituído Bruno Henrique aos 40 minutos do segundo tempo.

- Eu quando sou criticado, e sou bastante, não reclamo, não me faço de pobre coitado. A torcida reage de acordo com o sentimento dela. Mas hoje (segunda-feira) o Bruno Henrique foi substituído e todo mundo achou ruim, mas ele estava com cãibra nas duas pernas. Então acho que existe uma pré-disposição a criticar qualquer coisa que o treinador faça. Tinha gente deixando de ver o jogo para reclamar no meu ouvido. Não sou disso, sou de trabalhar e estou gostando muito do meu trabalho - desabafou o comandante alvinegro.

Cristóvão agora tem 12 partidas no comando do Corinthians, sendo seis vitórias, três empates e três derrotas. Ele assumiu a equipe na quarta colocação do Campeonato Brasileiro, e após este início de trabalho está em terceiro lugar. Hoje, o Timão está atrás apenas do líder Palmeiras, por três pontos, e do Atlético-MG, por apenas um. Com o topo da tabela embolado e o torneio ainda longe do fim, o treinador não acha que o Timão esteja devendo para os adversários diretos.

- Acho que as críticas são amenizadas até a próxima dificuldade. Mas isso não me afeta, estou concentrado no que quero e no que posso fazer. Estou contente com o potencial que a equipe pode desenvolver, estou concentrado em fazer a equipe trabalhar bem e estou feliz porque vejo possibilidade de fazer isso. Com tantas dificuldades estamos ali, sem dever nada a ninguém. Estou feliz e podemos muito mais, isso que me move. Eu não saio do meu foco - reiterou o treinador do Corinthians.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos