Fã de Ralf e torcedor do Corinthians, 'argentino' Jean chega e promete raça

Contratado pelo Corinthians para repor a perda de Bruno Henrique para o Palermo, da Itália, o volante Jean foi apresentado nesta sexta-feira por seu novo clube. O jogador de 21 anos já havia participado do primeiro treinamento com os novos companheiros, e teve chance de ficar lado a lado com um jogador de quem é fã. Em conversa informal após a entrevista coletiva, o novo reforço do Timão relembrou o dia 16 de setembro de 2008, quando viu das arquibancadas da Boca do Jacaré, em Taguatinga (DF), o empate em 1 a 1 entre Brasiliense e Corinthians, pela Série B do Brasileirão.

O autor do gol do Timão na partida que Jean viu como torcedor foi o volante Elias, que vivia sua primeira passagem pelo Parque São Jorge. Agora, o novo reforço terá a chance de dividir espaço com o experiente volante. Apesar disso, a verdadeira inspiração do jogador de 21 anos é Ralf, ídolo do Timão e que se despediu do clube no fim do ano passado para atuar no futebol chinês.

- Minha característica é mais voltada à marcação, mas futebol não se limita a isso, tem que jogar. Sou um volante de marcação firme, mas que tem velocidade de recuperação, sabe sair. Acredito muito no meu futebol e espero poder mostrar isso no decorrer do Campeonato Brasileiro. Me espelho muito em jogadores como Ralf, por ser da minha característica. Ralf é uma referência, saiu como eu, da Série B, e chegou ao Corinthians - disse Jean, encantando com o novo desafio da carreira.

Aos 21 anos, Jean assinou contrato com o Corinthians até dezembro de 2020. Além do Paraná, clube em que se destacou na Série B do Brasileirão, o volante também atuou por Iguaçu e, curiosamente, pelo Estudiantes (ARG), nas categorias de base. O histórico no futebol internacional, segundo o diretor adjunto de futebol do Corinthians, Eduardo Ferreira, foi um dos diferenciais pela contratação do volante, que chegou ao Timão prometendo "raça argentina".

- Experiência internacional foi algo que agregou muito na minha vida, tenho uma bagagem que me dá determinada experiência. Acredito que agregou muito na questão da raça, da vontade. Sempre tive futebol muito aguerrido, mas lá tive que me adaptar a eles e trago meu estilo de ser para o Corinthians. Humildade para marcar, correr. No que depender de mim raça e vontade não vão faltar - disse o volante, agradecido pela oportunidade de defender o time que torce.

- Falar de Corinthians é difícil e fácil ao mesmo tempo. A dimensão faz trazer palavras que você consegue usar. Alegria, ansiedade de querer estrear logo, tudo está aqui dentro. Mas a ficha vai caindo aos poucos de entrar no CT e ver essa grandeza, ver jogadores que via na televisão. O que posso fazer é agradecer a Deus, à diretoria. Hoje olhar tudo isso e ver a grandeza do Corinthians é imensurável - disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos