PM abre sindicância para investigar saída de viaturas do CT do São Paulo

A invasão de torcedores no CT da Barra Funda no último sábado (27) ainda deve render muitos capítulos nos próximos dias. Um dia depois do incidente, que terminou com três jogadores agredidos, o clube disse ter notificado a Polícia Militar de que o contingente do Choque foi reduzido pouco antes da entrada da torcida no local e sem nenhuma justificativa. A PM agora investiga o caso.

Logo após o empate sem gols com o Coritiba neste domingo, no Morumbi, a Rádio Globo informou que seguranças do clube ficaram indignados com a saída de viaturas por volta das 10h. Segundo os funcionários, o contingente de PMs era muito maior às 8h do que no momento da invasão (dois carros). Há ainda a reclamação de que mesmo o efetivo inicial não seria suficiente para o caso.

Depois de analisar a situação, o São Paulo afirma ter avisado a Polícia Militar sobre as dúvidas de quem ordenou a saída dos veículos e que o órgão se prontificou a investigar os acontecimentos. Uma sindicância, ainda segundo o clube paulista, foi aberta para descobrir de quem partiu a ordem para que o contingente no CT fosse reduzido antes de o protesto começar.

REGISTRO DA INVASÃO

A Torcida Tricolor Independente tem negado que invadiu o CT da Barra Funda, alegando que os portões (que ficaram quebrados) foram abertos pelo São Paulo. Neste domingo, porém, a organizada publicou vídeo de 13 minutos no YouTube registrando todo o processo de entrada no local e é possível ver que cordão de isolamento foi derrubado e os portões forçados sob gritos de "invadimos, porra" e "vamos quebrar tudo". Alguns chegaram a gritar "vai morrer" e atletas afirmam que um dos torcedores exibia arma na cintura.

 

 

 

 

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos