Beckenbauer e mais três cartolas são investigados pelo MP suíço

O Ministério Público da Suíça abriu investigação penal contra Franz Beckenbauer, ex-jogador e treinador, por suspeita de corrupção na Federação Alemã de Futebol (DFB). Além do dirigente, a instituição também analisa Theo Zwanziger e Wolfgang Niersbach, que estiveram à frente da entidade.

Zwanziger comandou a DFB entre 2006 e 2012, enquanto Niersbach foi o mandatário de 2012 e 2015. O trio presidiu também o Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2006. O quarto investigado é Horst Rudolf Schmidt, que foi tesoureiro da DFB entre 2007 e 2013 e também vice-presidente do Comitê.

As investigações começaram em novembro de 2015 devido a suspeitas de fraude, gestão desleal, lavagem de dinheiro e abuso de poder. No centro das análises do Ministério Público da Suíça está o cofinanciamento de um 'evento de gala', no valor de 7 milhões de euros, que, em seguida, foi reduzido para 6,7 milhões de euros.

- A suspeita é de que os acusados sabiam que o valor não deveria servir para o financiamento do evento, mas para o pagamento de uma dívida que não havia sido contraída pela Federação Alemã de Futebol - informou o órgão, em comunicado divulgado nesta quinta-feira.

Os investigadores ainda afirmaram que os suspeitos agiram 'com astúcia', ao induzirem ao erro outros membros do Comitê Organizador, com informações falsas e omitindo elementos para tomada de decisões contra interesses econômicos do órgão. O Ministério Público revelou ainda que está à frente do caso porque alguns dos supostos crimes teriam sido cometidos na Suíça.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos