Após quase jogar no São Paulo, Rafael Marques vai rever sua maior vítima

Desde que voltou ao Palmeiras no ano passado, Rafael Marques fez sete gols nos 14 clássicos que disputou. Entre os três rivais do estado, a principal vítima é o São Paulo. Foram três gols contra o time do Morumbi, que por pouco não levou o camisa 19, há dois meses.

O Tricolor chegou a cogitar uma troca com Michel Bastos e manteve conversas para comprar Rafael, mas no fim o atacante fez o sétimo jogo no Brasileiro e não pôde sair. Os são-paulinos não foram os únicos que fizeram sondagens, afirmou o atacante nessa quinta.

- Sendo bem sincero, não foi só o São Paulo que me procurou. Estava ciente de alguns interesses, não que eu teria negociado com A, B ou C. Quem faz este trabalho para mim é meu empresário, eu fico focado no meu trabalho. Todos sabem o transtorno que foi minha negociação aqui. Querendo ou não, não estar jogando muito chateia, mas vocês me acompanham no dia a dia, eu sou um dos primeiros a chegar, um dos últimos a ir embora. Vai ser assim até o fim do ano, vou continuar trabalhando - afirmou.

- De um lado isto me motivava, porque se há interesse é porque tenho qualidade, não estou no Palmeiras à toa, mas sempre respeitei o momento dos meus companheiros, como hoje eles respeitam o meu. O Cuca e a direção contavam comigo. Sabia que a qualquer momento poderia ter minha oportunidade, ter uma sequência de jogos, que é o que eu mais quero. Espero ter esta sequência no segundo turno, sei que não é fácil para o Cuca, tem muito jogador, mas com estes dois últimos jogos como titular, espero poder mostrar por que eu fiquei no Palmeiras - acrescentou.

Com Gabriel Jesus na Seleção, Rafael Marques já fez duas partidas como titular e marcou em ambas - contra a Ponte Preta e Botafogo-PB. E ele tem boas chances de começar também o Choque-Rei, quarta-feira. Isto porque Jesus jogará contra a Colômbia na terça-feira, em Manaus (AM), e provavelmente será titular. Com isso não haverá tempo de recuperação entre um jogo e outro.

- Hoje o meu foco é estar jogando e atuando bem. Este negócio de clássico deixo para vocês da imprensa. Óbvio que em jogos assim eu gosto, é uma atmosfera diferente, ela já vem naturalmente, e eu tenho a sorte de em clássico estar sempre marcando gols, atuando bem. Espero que caso eu jogue não seja diferente, fazendo gols ou não, que a gente saia de campo com os três pontos, e mais perto do nosso objetivo, que falta pouco - completou Rafael.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos