Renato Augusto cita ouro e rechaça euforia na Seleção: 'De lixo, viramos heróis'

A euforia em torno da Seleção Brasileira é vista com cuidado por Renato Augusto. Em entrevista coletiva na noite deste domingo, o meia reconheceu a dificuldade de lidar com a paixão do torcedor, mas mencionou o exemplo da campanha da Rio-2016 para deixar a equipe de Tite com as atenções voltadas para o confronto diante da Colômbia, nesta terça-feira, pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo:

- É difícil, é a paixão nacional. Eu quando era torcedor também era assim. Nós somos assim dentro do campo, vivemos muito a emoção. Às vezes temos que ficar longe disso porque os elogios te levam muito pra cima e as críticas jogam muito pra baixo. Na Olimpíada, de lixo viramos heróis. Eu sou muito autocrítico, penso em várias coisas que poderia ter feito.

O camisa 8 tem a perspectiva de um jogo de qualidade na próxima partida:

- Acho que será um jogo equilibrado. A Colômbia tem estilo de jogo parecido com o nosso, não vai chegar só para se defender. São jogadores de alto nível, normalmente eles saem um pouquinho mais pro jogo. Estamos num bom caminho, espero que dê certo contra a Colômbia.

O jogador de 28 anos garantiu estar bem fisicamente para a partida contra os colombianos;

- Estou 100%. Pancada é natural num jogo como esse, é um rasgo a mais na canela, uma dor a mais no joelho. Quando começa o jogo a gente esquece tudo. Estou 100%.

Renato Augusto atribui esta estreia em grande estilo sob o comando de Tite à postura dos jogadores:

- Falei para o Tite que achei que não daria tão certo nesse início porque é pouco tempo para trabalhar. Os jogadores entenderam o que ele queria, estavam dispostos a ajudar, cada um fez sua função da melhor maneira possível. O pensamento agora é daqui pra melhor.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos