Dia 4: Com jovem velocista e Daniel Dias, Brasil segue 100% na Paralímpíada

100% de aproveitamento. Assim está a delegação brasileira nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Dessa maneira está o atletismo do Brasil na Paralímpica. Com tal desempenho está o nadador Daniel Dias na competição.

Após quatro dias de disputa no Rio de Janeiro, uma coisa já dá para afirmar: o atletismo do país e Daniel não saem mais do pódio. Pelo menos até o momento. Em um dia com cinco pódios de brasileiros, quatro vieram das pistas do Engenhão e outro saiu da piscina do Centro Aquático.

E no Estádio Olímpico teve até recorde mundial de um velocista ainda muito jovem.

Revelação voa nas pistas

O velocista Petrúcio Ferreira não deu chances para ninguém na decisão dos 100m T47, neste domingo Aos 19 anos, o brasileiro conquistou a medalha de ouro com direito a recorde mundial da prova, com 10s57. A antiga marca era dele mesmo, com 10s67, obtida na semifinal.

O pódio ainda contou com outro brasileiro: Yohansson Nascimento faturou o bronze, com 10s79, mesma marca do polonês Michal Derus. O europeu, no entanto, terminou com a prata por ter ficado na frente na marcação dos milésimos.

- Quando a prova acabou, pensei sobre tudo o que aconteceu na minha vida: de onde eu vi e onde estou atualmente. Ao ouvir o hino brasileiro no topo do pódio, eu lembrei daqueles dias quando eu voltava para casa e não conseguia sequer tomar banho por causa do cansaço - afirmou Petrúcio, que antes de praticar a modalidade jogava futebol.

Ainda neste domingo, o Brasil conquistou mais duas medalhas no atletismo nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Na sessão noturna, no estádio do Engenhão, Felipe Gomes faturou a prata nos 100m T11, enquanto Teresinha de Jesus terminou a prova dos 100m T47 com um bronze.

Rei da piscina

O nadador Daniel Dias não cansa de subir ao pódio nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro. Pelo quarto dia seguido, no quarto dia de competições, ele conquistou uma medalha. Dessa vez, o atleta ficou com a prata nos 100m peito SB4 (1m36s13). O ouro acabou com o chinês Junsheng Li (1m35s96), enquanto o colombiano Moises Fuentes Garcia terminou a disputa com o bronze (1m37s40).

- Mais uma vez, eu dei meu melhor e, na parte final, sabia que estaria um pouco atrás da primeira colocação, mas meu retorno na piscina é sempre bom. Tentei tirar vantagem disso. Quase alcancei o chinês - avaliou o brasileiro.

Além da láurea obtida ontem, Dias já tinha faturado na competição o ouro nos 200m livre S5, a prata no revezamento 4x50m livre de 20 pontos e o bronze nos 50m borboleta S5.

Em toda sua carreira, o brasileiro já soma 19 medalhas paralímpicas. Vale lembrar que ele ainda nada mais cinco provas no Rio de Janeiro.

Feito inédito

O Brasil garantiu sua primeira medalha no tênis de mesa individual em todas as edições dos Jogos Paralímpicos. O feito foi obtido por Israel Stroh, que se classificou para a final da classe 7 ao vencer na semifinal o chinês Shuo Yan por 3 sets a 2, parciais de 11-7, 5-11, 11-8, 5-11 e 11-9.

Stroh, que já assegurou a prata, disputará o ouro nesta segunda-feira na decisão contra o britânico William Bailey.

O Brasil só tinha uma medalha de prata no tênis de mesa paralímpico, na disputa por equipes, conquistada em Pequim-2008.

Na decisão

O Brasil brilhou na disputa por equipes mistas da bocha, e classificou-se para duas finais.

Na classe BC4, o trio formado por Dirceu Pinto, Eliseu dos Santos e Marcelo dos Santos venceu a Grã-Bretanha na semifinal por 4 a 2. A disputa pela medalha de ouro será nesta segunda-feira contra a Eslováquia.

Na categoria BC3, Antonio Leme, Evani Soares da Silva e Evelyn de Oliveira superaram o time de Cingapura por 6 a 2 na semifinal. A decisão também ocorre nesta segunda, contra a Coreia do Sul, na Arena Carioca 2.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos