Levir Culpi explica substituições: 'Posso errar, mas não me arrependo'

No intervalo do confronto desta quinta-feira, quando o Fluminense vencia a Chapecoense por 1 a 0 no Giulite Coutinho, Levir Culpi fez duas alterações em sua equipe: Magno Alves e William Matheus saíram, entraram Maranhão e Ayrton. A torcida não gostou das mudanças, que não realmente não tiveram o resultado esperado. O próprio técnico reconheceu que as substituições não foram felizes, mas afirmou não se arrepender, e ainda explicou o por quê.

- É difícil eu me arrepender. É mais fácil eu reconhecer o erro do que me arrepender. Substituo sem medo. Quantos chutes o Magno deu? A ideia era colocar um homem mais fixo de finalização e voltar para o meio um cara que era pedido o tempo todo que era o Marcos Junior - comentou o técnico, antes de completar:

- Achei que o Magno estava bem, mas havia muita dificuldade. Ele quase não teve chance de finalizar. Eles estavam ganhando o meio e tentei ganhar o meio para forçar mais ataques. Quando ele (Magno Alves) está fora é pedido o tempo todo. A ideia era ele trabalhar a meia e ter um cara mais de frente. Não fizemos gol e está errado? Reconheço a lógica na crítica, mas há uma lógica na minha substituição. Posso até substituir e não dar certo, mas faz parte do meu trabalho - afirmou Levir.

Com a derrota por 2 a 1, o Fluminense seguiu com 37 pontos na tabela do Brasileirão e viu a distância para o G4 aumentar. Agora, o Tricolor volta as atenções para o duelo com o Grêmio no domingo, às 16h, em Porto Alegre.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos