Collet ganha documentário sobre a travessia do Canal da Mancha

Atualmente competindo na modalidade do Paratriathlon, Marcelo Collet é protagonista do documentário "Diários do Canal", produzido pela Mar Aberto Audiovisual que estreia mundialmente no Festival International du Film sur le Handicap (International Film Festival on Disability), que acontece em Cannes, na França, de 16 a 23 de setembro (http://festival-international-du-film-sur-le-handicap.fr). Assista ao trailer em https://youtu.be/ALQKKojj0Uk. Este é o único filme brasileiro entre os selecionados para a competição oficial na categoria documentário de longa metragem e será exibido no domingo, 18.

Marcelo Collet iniciou sua carreira paralímpica depois de uma tragédia. Ele foi atropelado durante um treino de ciclismo em Salvador, logo após a sua primeira convocação para a Seleção Brasileira de Triatlo. Na época, aos 17 anos, já despontava como grande promessa do esporte. Superando-se gradativamente após a perda de grande parte dos movimentos da perna esquerda, Marcelo investiu na natação paralímpica colocando-se entre os melhores atletas desta modalidade, tendo no currículo, além de mundiais de natação, dois Parapanamericanos (Mar Del Plata e Rio de Janeiro), em que conquistou oito medalhas sendo 2 de ouro, 3 de prata e 3 de bronze e duas Paralimpíadas (Atenas e Pequim), nas quais se colocou entre os oito melhores atletas da sua categoria.

- Eu comecei no esporte competitivo aos 14 anos, e tive que me adaptar através do paradesporto depois do acidente. Com a natação, eu já tinha participado das competições mais importantes que um atleta tem na sua vida esportiva, as paralimpíadas de Atenas e Pequim, e eu precisava de algo mais. Eu sempre gostei de fazer travessias de longa distância e este foi o primeiro desafio que me coloquei e não sabia se conseguiria cumprir. Sempre ouvi que era uma travessia muito difícil; e 90% dos atletas que tentam, não conseguem chegar ao final. Eu nunca tinha passado mais de 3 horas nadando e ali eu ia precisar nadar no mínimo 10 horas. Com este filme, podemos mostrar para as pessoas como é viver essa emoção de um desafio e a importância do esporte na vida das pessoas. Estou muito feliz - comenta Marcelo Collet.

- Esta é uma história de superação e força de vontade que se transformou em um filme quase de ficção com personagens reais em que a vontade de um atleta em realizar sonhos se torna um grande enredo de cinema. Diário do Canal é um filme marcante, uma história bem contada e um tema sempre encantador - comenta o diretor Felipe Kowalczuk.

Collet é o primeiro paralimpico do mundo a atravessar os 40km do Canal da Mancha, entre a França e a Grã-Bretanha, como mostra o documentário Diários do Canal. Filmado em 2010, durante 20 dias na fria cidade de Folkestone, na Inglaterra, com uma equipe de filmagem que se resumiu apenas ao diretor Felipe Kowalczuk, Diários do Canal acompanha sua travessia a nado no Canal da Mancha, considerado o Everest das maratonas aquáticas.

Hoje, aos 35 anos, Collet está de volta ao Paratriathlon entre os melhores do ranking mundial na sua categoria, representando um dos esportes que faz sua estreia Paralímpica nos Jogos Rio 2016. O paulista radicado na Bahia foi o primeiro a conduzir a Tocha Olímpica em Salvador. Em recente processo de transição da natação para o Paratriathlon, Collet está focado em Tokyo 2020, quando poderá voltar a competir numa Paralimpíada.

Ficha técnica

Título: Diários do Canal

Duração: 75 minutos

Produtora: Mar Aberto Audiovisual

Roteiro e direção: Felipe Kowalczuk

Coordenação: Debora Barros

Direção de fotografia: Felipe Kowalczuk

Pesquisa: Felipe Kowalczuk

Produção executiva: Felipe Kowalczuk

Edição: Felipe Kowalczuk

Pós-Produção e Finalização: Mar Aberto Audiovisual

Produtora de áudio: Estúdio Casa das Máquinas

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos