No Londrina, Keirrison vai, 'passo a passo', em busca de novos sonhos

Embora tenha apenas 27 anos, Keirrison deixa evidente que a vivência no futebol é o trunfo para, com a camisa do Londrina, comprovar que segue tendo bom futebol. Depois de surgir como sensação no Coritiba, ascender do Palmeiras para o Barcelona, e passar por clubes de ponta no exterior e no Brasil, o atacante diz ao LANCE! que encara com naturalidade a tarefa de, atualmente, disputar a Série B pelo Tubarão:

- Cobrança existe, é algo natural desde criança. O ruim é quando ela se torna mais violenta. É importante exigir respeito, ver o valor do ser humano e a maneira como o Londrina nos trata é importante.

Com vínculo até junho de 2017, o atacante destacou que teve uma fácil adaptação ao clube. Keirrison ainda apontou que foi sua iniciativa assinar um contrato com cláusula de produtividade, e valorizou a boa campanha da equipe. Na volta a uma Série B após 12 anos, o Londrina está com 38 pontos, colado ao G4.

- Vem sendo natural (a cláusula de produtividade em contratos), eu já tinha feito isso. Vejo como a melhor forma de ajudar o clube, criando um contrato com objetivos para a sequência do ano. Em campo, fico feliz de hoje poder contribuir de alguma forma para a equipe crescer na Série B.

Aos seus olhos, a maneira como encarou as lesões contribuiu também para não ver sua segunda passagem pelo Coritiba como um momento de frustração:

- Eu vivi bons momentos no Coritiba (onde venceu a Série B de 2008 e foi campeão paranaense em 2008, 2012 e 2013). É um lugar no qual me sinto em casa, e onde fiquei marcado por conquistas. Nenhum atleta está livre do risco de lesões. Procurei aprender, trabalhar no dia a dia. Só tenho a agradecer ao Coritiba por tudo o que me proporcionou.

Porém, Keirrison não escondeu como foi conviver com as lesões, que afetaram sua segunda passagem pelo Coxa e os períodos nos quais defendeu Cruzeiro e Santos:

- Tive mais problemas com articulações de joelho, que precisam de um período maior para recuperação. É muito difícil, porque todo o jogador tem vontade de estar em campo. Além da preparação para voltar bem e trabalhar, tem de lidar com a dificuldade do ritmo de jogo.

Mesmo após tantas idas e vindas (dentro e fora de campo), que incluíram uma negociação frustrada para defender o Buriram United (TAI), Keirrison mantém uma série de expectativas para sua trajetória. Porém, os sonhos acontecerão degrau a degrau:

- O primeiro passo é viver algo muito bom aqui, no meu trabalho no Londrina. Não vou dizer que não tenha sonho de um dia voltar a vestir a camisa da Seleção Brasileira. Mas vou passo a passo, porque temos sempre de criar objetivos. O sonho continua, e vou continuar um deles aqui, no Londrina.

Ainda nesta sexta-feira, Keirrison fala ao LANCE! sobre seu período no futebol europeu e como foi superar um drama familiar para seguir em campo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos