Chavez se esquiva sobre futuro no São Paulo e pede melhora fora

Principal destaque do São Paulo no momento, com seis gols em 11 partidas, o centroavante Chavez se esquivou ao ser perguntado se já conversou com a diretoria para tratar de uma transferência em definitivo. Emprestado pelo Boca Juniors (ARG) até o meio do ano que vem, ele não quis dizer se o seu desejo é permanecer no Tricolor após o período.

- Não temos falado muito. Sei que já saiu alguma coisa sobre esse tema. Os torcedores me deram muito carinho e muito afeto, fico contente. Mas deixei bem claro que vim por um ano. Primeiro quero terminar bem o torneio, com o objetivo de fazer gols, tentar alcançar coisas, e depois falar sobre o futuro. Claro que sempre quero o melhor, ainda não falei com os dirigentes. Mas estou tranquilo, sem pensar tanto nisso - declarou o centroavante argentino.

Chavez está emprestado pelo mesmo período que o meia-atacante Centurión ficará no Boca Juniors. Ele chegou para substituir Jonathan Calleri, que também veio do Boca e hoje defende o West Ham (ING). Chavez tem início superior ao de seu compatriota, que ainda se mantém como artilheiro do São Paulo em 2016: 16 gols em 31 jogos.

Chavez, no entanto, quer ver melhora da equipe. O atacante disse que é preciso jogar bem fora de casa. Na próxima quinta-feira, o Tricolor vai a Caxias do Sul enfrenta o Juventude, pelo jogo de volta das oitavas de final da Copa do Brasil e precisa reverter o placar de 2 a 1 sofrido na ida.

- Estávamos jogando bem a última partida. Agora temos três jogos de visitantes, perdemos a primeira. Quando estamos em casa temos o apoio, mas temos de jogar assim também fora de casa. Acho que esse jogo o 0 a 0 seria mais justo. A gente vinha bem com duas vitórias importantes, mas não podemos abaixar a cabeça com essa derrota. Temos de levantar a cabeça para pegar o Juventude - disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos