Dilema volta a assombrar, mas Santos não quer escolher campeonato

A vitória por 3 a 2 sobre o Santa Cruz deu ainda mais forças ao Santos no Brasileirão. A equipe manteve a diferença de seis pontos do líder, o Palmeiras, e abriu quatro pontos para o quinto colocado, o Corinthians. Mas o conforto no G4 é temporário. Isso porque o pensamento no Vasco, adversário de quarta-feira, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, passa a ter clima de decisão, já que um placar de 2 a 0 basta para o Cruz-Maltino passar de fase.

E então, vale a pena priorizar os pontos corridos e esquecer a chance de título e uma vaga na Libertadores pelo mata-mata?

- Não podemos abrir mão e em nenhum momento abriremos. Tem uma importância muito grande para nós (a Copa do Brasil). Esse campeonato (Brasileirão) proporciona surpresas, você não pode se dar por satisfeito em momento nenhum. Serão 12 rodadas em que as equipes que errarem menos estarão brigando por um posicionamento melhor - disse Dorival.

No ano passado, o Peixe chegou à final da Copa do Brasil e poupou jogadores em duas rodadas do Brasileirão, contra Vasco e Coritiba, fora de casa. Acabou perdendo as duas partidas e, derrotado também na decisão do torneio mata-mata, acabou ficando sem a vaga na Libertadores.

Para o duelo contra o Cruz-Maltino nesta quarta, em São Januário, Dorival Júnior não quer poupar nenhum titular, mesmo com a vantagem de dois gols e com o compromisso contra o Sport, no sábado, na Ilha do Retiro, pelo Brasileirão.

- Não (vou poupar). A não ser que tenhamos algum problema médico. Do contrário, não - resume o treinador sobre a escalação.

Calejado pelas derrotas que o tiraram da Libertadores deste ano, o Santos parece priorizar o resultado ao futebol bonito em prol de uma classificação para a competição internacional que não disputa desde 2012. Obsessão à parte, lição aprendida na Vila Belmiro?

BATE-BOLA COM VITOR BUENO, MEIA DO PEIXE

O objetivo é só uma vaga para a Libertadores ou dá para ir em busca do título do Brasileirão?

Queremos chegar o mais longe possível. O mais longe é o título e isso não está definido. Temos seis pontos de diferença do líder. Queremos Libertadores e o título, sim!

O time não joga um futebol bonito como já fez recentemente, mas a vitória está vindo. Como vocês, jogadores, avaliam isso?

Queremos sempre jogar um futebol bonito, mas prefiro não agradar todo mundo e jogar para ganhar ao invés de ser igual ao ano passado. A fase não é a melhor, mas o que importa é a vitória e os pontos somados.

Que lição se tira do ano passado? Vale a pena priorizar Brasileirão ou Copa do Brasil?

Aprendemos uma lição importante no ano passado. Jogamos bonito, mas ficamos sem nada. Neste ano, queremos levar os dois campeonatos, tem que saber conciliar os dois.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos