Jogadores da seleção de vôlei de Cuba são presos por estupro na Finlândia

Cinco jogadores da seleção masculina de vôlei de Cuba foram condenados à prisão nesta terça-feira na cidade de Tampere, na Finlândia, acusados de estupro. O capitão da equipe Rolando Cepeda Abreu, além de Abrahan Alfonso Gavilan, Ricardo Calvo Manzano e Osmany Uriarte Mestre, receberam a sentença de cinco anos de reclusão. Luis Sosa Sierra teve uma pena menor, e ficará na cadeia por três anos e seis meses. Um sexto atleta, Dariel Albo Miranda, foi inocentado e liberado.

O episódio aconteceu no dia 2 de julho deste ano, durante viagem da equipe cubana à Finlândia para partidas da Liga Mundial de vôlei - neste dia, o time da casa derrotou Cuba no torneio, por 3 sets a 1.

Segundo a investigação, a mulher, de identidade não revelada, conheceu os jogadores em uma boate no mesmo hotel onde os atletas estavam hospedados. Ela teria feito sexo com consentimento com o jogador Osmany Uriarte Mestre no quarto dele. Mas, em seguida Uriarte teria chamado seus companheiros de equipe, que a abusaram sexualmente durante aproximadamente uma hora e meia. Tudo foi filmado e fotografado pelos próprios cubanos.

Os atletas negam a acusação, e disseram que tudo foi feito com consentimento. Já a investigação concluiu que os fatos não foram de comum acordo - uma das evidências para a acusação foram mensagens trocadas pelos cubanos por telefone. A mulher teria sido puxada pelos cabelos e segurada pelo pescoço, pois teria tentado fugir do quarto e pedido socorro aos gritos.

Luis Sosa Sierra acabou recebendo uma pena menor pois teria cometido estupro na mesma mulher em outro quarto, sem a presença dos outros atletas. Todos os cinco condenados, além da reclusão, terão de pagar 24 mil euros (cerca de R$ 87 mil) para a vítima.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos