Ministério Público Federal irá pedir afastamento do presidente da CBDA

Um dos mais antigos dirigentes ainda no comando de uma confederação no Brasil, Coaracy Nunes, que preside a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) há 28 anos, sofrerá uma sanção do Ministério Público Federal (MPF) de São Paulo, que pedirá o seu afastamento do cargo.

As informações são do site ESPN, que afirma que o dirigente é suspeito de desvio de recursos públicos e fraudes em prestações de contas de convênios do Ministério do Esporte.

Além do impedimento de Coaracy, o MPF ainda pedirá o bloqueio de seus bens e de outros três dirigentes da entidade, enquanto cinco empresários que mantêm contratos com a CBDA também serão denunciados.

O Ministério do Esporte auxilia a entidade por meio de convênios, e a verba é utilizada para, por exemplo, pagamento de viagens. Um dos pontos citados em um relatório do MPF investiga exatamente esse ponto, analisando a relação entre a CBDA e a agência Roxy Travel, acusada de superfaturamento de valores.

Na manhã desta quarta-feira, a reportagem do LANCE! tentou contato com os três assessores de imprensa da Confederação e com o próprio presidente Coaracy, que não atenderam às ligações em seus celulares.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos