Fagner mostra clima leve no Timão: técnico aprovado e entrevista dupla

A vitória por 1 a 0 diante do Fluminense que garantiu a classificação do Corinthians para as quartas de final da Copa do Brasil deixou o ambiente do CT Joaquim Grava mais leve. Pelo menos foi esta a impressão durante o treino de reapresentação, nesta quinta-feira, quando o lateral-direito Fagner levou seu filho Henrique para sentar-se a seu lado e também conversar com a imprensa. Depois de três jogos sem ganhar, o Timão celebra a classificação e já pensa no duelo do próximo domingo, na volta ao Brasileirão após a demissão do técnico Cristóvão Borges e o início do trabalho interino de Fabio Carille.

A respeito do profissional de 42 anos, e que fez a primeira partida como treinador após a mudança no comando, o capitão do Corinthians foi só elogios. Sem apontar os erros que levaram à demissão de Cristóvão, o lateral-direito vê Carille preparado para a função. Muito disso por conta do trabalho de anos ao lado de Tite, que hoje dirige a Seleção Brasileira.

- A gente tem que pensar jogo a jogo, mas ele (Carille) tem a vantagem de conhecer o clube há muito tempo, conhece cada jogador que está aqui, ajudou a trazer os reforços, conhece as características e teve uma escola grande com Tite e os profissionais que aqui passaram. Tudo aquilo que ele buscar passar para nós vamos tentar ajudá-lo. Dá para dizer que ele tem bastante coisa (do Tite). Trabalhou muito tempo com ele. Gosta do método, estilo, muita coisa que segue, que tem como escola. Tenho certeza que se continuar nesta linha, tem tudo para ter um futuro brilhante - disse Fagner, em tom elogioso sobre o técnico interino do Corinthians, e sem comentar as razões da saída de Cristóvão ou o perfil de quem vem pela frente.

- Difícil apontar erros, todos estão sujeitos. Nós atletas erramos também. Foi uma série de fatores que fizeram o time não conseguir os resultados e infelizmente houve a demissão. Tivemos uma experiência agora que infelizmente não deu certo, então não adianta ter pressa. Tenho certeza que a diretoria escolherá bem.

Apesar do ambiente mais leve e da expectativa por uma vitória no fim de semana, placar que pode encurtar a distância de quatro pontos para o G4, Fagner ainda não consegue traçar metas concretas para o Corinthians na temporada. Hoje o time é quinto colocado do Brasileirão e está nas quartas da Copa do Brasil. O que vem por aí? Ninguém sabe...

- O mais importante é o próximo jogo, não adianta pensar daqui três meses. Passando pelo Fluminense no domingo vamos ter outro adversário e assim vai. Terá duelos diretos de adversários ainda, então temos que nos preocupar com nosso trabalho, nosso papel, para trazer as vitórias. Isso vai desenhar o que virá para a gente.

MINI FAGNER VIROU PROTAGONISTA - Henrique, filho de Fagner, ficou sentado ao lado do pai durante toda a entrevista coletiva desta quinta-feira. O garoto até respondeu algumas perguntas dos jornalistas de maneira tímida. Ele se disse torcedor do Corinthians e elegeu o pai como seu jogador favorito - o segundo é Diego, do Flamengo, e com quem Fagner atuou no futebol alemão. Henrique quer ser jogador de futebol. E atacante.

- Dizem que ganha melhor, então já falei para ele - brincou Fagner.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos