Seis Casas Temáticas dos Jogos Olímpicos Rio-2016 são premiadas

Sensação durante os Jogos-2016, as casas temáticas também ganharam o direito de subir ao pódio com o anúncio dos vencedores do Prêmio "Casas de Hospitalidade Rio-2016". Qatar, Ernest & Young, Federação Internacional de Vôlei, Hungria e Suíça foram as escolhidas pelo júri em cinco diferentes categorias, além de uma escolha por voto popular, para receber o prêmio criado pela Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRio). A iniciativa tem parceria com a Empresa Olímpica Municipal (EOM), a Subsecretaria de Relações Internacionais do Estado do Rio de Janeiro e a Coordenadoria de Relações Internacionais da Prefeitura do Rio.

A vencedora na escolha do público foi a Casa da NBA, que recebeu mais de mil votos em enquete popular no portal da Associação Comercial. A Casa Brasil e o Espaço Rio de Janeiro não participaram da disputa, já que o objetivo da iniciativa era homenagear os países e as instituições estrangeiras.

- Além de gerar dúvidas em relação ao critério de julgamento, o Rio de Janeiro e o Brasil estavam homenageando os visitantes. Achamos que seria melhor nos fixarmos apenas nos países e empresas estrangeiras - explicou o subsecretário de Relações Internacionais do Governo do Estado do Rio de Janeiro, embaixador Pedro Spadale.

Para o coordenador de Relações Internacionais da Prefeitura, Laudemar Aguiar, a presença das casas temáticas durante os Jogos deixará um legado tangível e intangível.

- O público pôde desfrutar de um circuito que foi além das competições esportivas, e conhecer um pouco mais da cultura dos países - afirmou.

Paulo Protasio, presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, a cidade vive um momento extraordinário.

- O espaço Rio de Janeiro manteve as portas abertas para aqueles que tinham interesse em negócios e funcionou muito bem. Estamos com um calendário imbatível para a cidade nos próximos anos - afirmou. Segundo ele, além do convite para participar da organização do Congresso Mundial de Câmaras de Comércio em 2017, na Austrália, o Rio de Janeiro candidatou-se a sediar o mesmo evento em 2019. Além disso, a cidade irá sediar o Encontro Mundial de Arquitetos em 2020 e tem planos de sediar uma nova exposição internacional em 2022, bicentenário da Independência do Brasil.

Das 53 casas de hospitalidade que o Rio de Janeiro recebeu durante os Jogos Olímpicos Rio 2016, 34 casas de diferentes países e instituições inscreveram-se para concorrer ao prêmio. Cada uma definiu as categorias em que queria concorrer. A premiação será entregue nesta quarta-feira (14/09) na ACRio, durante o evento Sports Flame - Os Negócios Gerados com o Esporte, com a presença do Ministro do Esporte, Leonardo Picciani, e do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman.

Casa Brasil

Mesmo sem poder concorrer ao prêmio, a Casa Brasil tem papel de destaque nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos.Localizada no Boulevard Olímpico, no centro do Rio de Janeiro, a Casa Brasil também apresentou aos turistas a diversidade de sabores da gastronomia e o patrimônio cultural da humanidade preservado no país. De acordo com o levantamento realizado pelo Ministério do Turismo, 99% dos visitantes avaliaram o espaço como ótimo ou bom, e o tempo médio de permanência no local foi entre uma e três horas para 68,3% do público.

O estudo também aponta que, entre os visitantes da Casa Brasil, 78% são moradores do Rio de Janeiro, 20% são turistas de outros estados brasileiros e 2% de outros países, com destaque para a Espanha, Argentina, Estados Unidos, Bolívia e França. Na avaliação dos visitantes que também conheceram outras casas temáticas, 49% considerou a Casa Brasil como o melhor espaço de exposições.

Os premiados e as categorias

Promoção de Cultura - Catar

O Qatar promoveu uma viagem cultural pelo mundo árabe por meio dos mais diversos elementos, como música, arquitetura, dança, moda, gastronomia. Destaque para as tendas disponíveis ao público com rendas para mulheres, as caligrafias dos nomes em árabe e vestimentas.

Promoção de Negócios - Ernst & Young

A casa da EY recebeu cerca de 400 convidados por dia. Promoveu atividades de empreendedorismo para empresários, fomentando um ambiente de negócios.

Legado - Federação Internacional de Vôlei

Funcionou na Escola Municipal Doutor Cícero Penna, em Copacabana. A Federação investiu R$ 600 mil em melhorias na escola que vão beneficiar seus 600 alunos, e trouxe ídolos do vôlei para participar de atividades com os estudantes, favorecendo o espírito olímpico. Também criou escolas de vôlei em duas comunidades com financiamento até 2020.

Confraternização - Suíça

Instalada na Lagoa Rodrigo de Freitas, contou com diversas atrações gratuitas e abertas ao público, funcionando ininterruptamente durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos e também no intervalo entre os dois eventos. Atraiu mais de 450 mil visitantes e ainda deixou como legado a reforma do campo de beisebol da Lagoa.

Inovação - Hungria

No Jockey Club, a Hungria inovou na apresentação de cenários do país. A casa utilizou a água como fonte de inspiração e criou o Aquabar, onde os visitantes apreciaram diversos tipos de águas minerais e termais de diferentes regiões da Hungria. Um enorme cubo-mágico, invenção húngara, decorou o espaço.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos