Engenhão ou Ilha? Botafogo deve pensar no ganho esportivo e financeiro, apontam colunistas

Após nove meses, o Botafogo volta a treinar no Estádio Nilton Santos. O local, cedido para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, enfim, passou novamente para o comando do Alvinegro, mesmo que ainda não esteja liberado para jogos. Por enquanto, o Glorioso segue mandando suas partidas na Ilha do Governador.

Para os colunistas do LANCE!, retornar ao Engenhão pode trazer consequências positivas e negativas ao Botafogo. Confira as análises de Eduardo Tironi e João Carlos Assumpção.

EDUARDO TIRONI - Colunista do LANCE!

"Esportivamente é vantajoso para o Botafogo voltar ao Engenhão. O estádio é melhor, o gramado tem tudo para ficar melhor do que o da Ilha. Porém, financeiramente pode não ser o melhor negócio, pois a administração é muito cara. Esta é a equação que o Botafogo deve fazer, colocando na balança o ganho esportivo e o ganho financeiro."

JOÃO CARLOS ASSUMPÇÃO - Colunista do LANCE!

"Para jogos com expectativa menor de público, prefiro a arena na Ilha do Governador. Estive lá em 2005, quando Botafogo e Flamengo mandavam seus jogos no estádio Luso-Brasileiro. É um local mais canhado e que proporciona uma atmosfera mais acolhedora. Para o time do Botafogo, pela proximidade da torcida e também por já conhecer bem o gramado, seria melhor continuar atuando lá.

A diretoria, porém, tem que levar em consideração outros pontos e pensar no médio e longo prazo. Para um programa de fidelização do sócio, melhor seria o Engenhão. Inclusive por ser maior e ter acabado de receber a Olimpíada. Em termos de custos também deveria fazer uma comparação com quanto gastará em cada local. Ano passado, o custo médio do Engenhão ficou na casa dos R$170 mil. A expectativa, inclusive por ter um número menor de jogos programados para a Ilha, é que lá fosse o dobro.

Seja como for, optando pelo Engenhão, que é sua casa apesar dos problemas estruturais, em tese sanados, o Botafogo deveria fazer uma campanha para atrair mais torcedores para lá. Um estádio grande como aquele às moscas é tétrico. E custa dinheiro. Fora que pode, por outro lado, gerar novas receitas, se for bem explorado pelo marketing do clube."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos