Histórico em reta final favorece luta contra queda, mas afasta G6 do SP

  • Rubens Chiri/SPFC.net

Basta o São Paulo esboçar reação no Campeonato Brasileiro para jogadores e torcedores fazerem contas por uma vaga na Copa Libertadores da América. Com o surpreendente G6 confirmado, então, há ainda mais espaço para esse otimismo. Ao mesmo tempo, qualquer tropeço faz com que o discurso seja alterado bruscamente, com pessimismo sobre um inédito rebaixamento.

Porém, o histórico do time tricolor desde que a competição passou a ser disputada no formato atual enfraquece as duas teses extremistas. De 2006 para cá, a equipe paulista costuma ter fôlego para bom desempenho nas dez rodadas finais. E o pior deles, por exemplo, já serve de alento contra o medo da queda. Em 2011, foram apenas 12 pontos conquistados dos últimos 30 disputados, o que levaria o time atual a 47 pontos. Com essa marca, ninguém nunca foi rebaixado no atual modelo do Brasileirão.

Pensando em Libertadores, porém, o retrospecto serve de contrapeso. Apenas uma das últimas dez séries nas dez rodadas finais seria suficiente para disputar a terceira edição consecutiva do torneio sul-americano. Em 2008, foram oito triunfos e dois empates para chegar ao tri consecutivo na Série A, o sexto título na história. Se repetir a sequência, chega a 61 pontos. A marca supera a média de 58,2 pontos que os sextos colocados têm desde 2006.

Foram ainda quatro campanhas com seis vitórias no "sprint final", como em 2015, 2014, 2012 e 2006, sendo que apenas três renderiam vaga na Libertadores em alguma das últimas dez edições do Brasileirão. Falando apenas em posição definitiva na tabela, a equipe terminou 2011 na sexta colocação com 59 pontos - por outro lado, na reta final, conquistou só três vitórias e três empates, sofrendo quatro derrotas.

A sequência atual começa nesta quarta-feira, às 21h45, contra o Sport. Depois da partida na Ilha do Retiro, o time tricolor ainda encara o Santos, Ponte Preta, Corinthians, Grêmio e Santa Cruz como mandante. Como visitante, tem compromissos com Fluminense, América-MG, Chapecoense e Atlético-MG.

RETA FINAL

2006

Terminou a 29ª rodada com 59 pontos e na primeira colocação. Depois, venceu seis vezes e empatou outras quatro para terminar a competição em primeiro, com 78 pontos.

2007

Ao fim da 29ª rodada, ocupava a liderança da Série A, com 63 pontos. Venceu quatro, empatou e perdeu três nas dez partidas finais. Foi campeão com 77 pontos.

2008

Depois da 29ª rodada, somava 52 pontos e estava na quarta colocação. Arrancou de forma incrível com oito vitórias e dois empates para ser tricampeão, com 75 pontos.

2009

Quando acabou a 29ª rodada, tinha 49 pontos, em segundo. Venceu cinco vezes e empatou apenas uma, mas foi derrotado em quatro ocasiões e terminou com 67 pontos, em terceiro.

2010

Acabou a 29ª rodada com apenas 41 pontos na modesta décima posição. Com cinco vitórias, dois empates e três derrotas, foi ao nono lugar, com 55 pontos.

2011

Era o quarto com 48 pontos quando a 29ª rodada terminou. Foram três vitórias, três empates e quatro derrotas para terminar a competição com 59 pontos, em sexto lugar.

2012

Chegou ao quinto lugar na 29ª rodada, com 49 pontos. Seis vitórias, dois empates e duas derrotas, porém, fizeram o time chegar a 66 pontos, em quarto.

2013

A 29ª rodada acabou com o São Paulo com 37 pontos, na 12 posição. Para acabar em nono, com 50 pontos, a equipe precisou de cinco vitórias, um empate e quatro derrotas.

2014

Encerrou a 29ª rodada como vice-líder, com 52 pontos. Com seis vitórias, três empates e apenas uma derrota, manteve a posição e chegou a 70 pontos.

2015

Ao fim da 29ª rodada, tinha 46 pontos e era o quinto colocado. Venceu seis vezes, empatou uma e perdeu duas para ser o quarto, com 62 pontos.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos