Lewandowski marca aos 50 do 2º tempo, e Polônia espanta a zebra

  • REUTERS/Kacper Pempel

    Lewandowski definiu vitória improvável da Polônia nesta terça-feira

    Lewandowski definiu vitória improvável da Polônia nesta terça-feira

O futebol viveu mais um momento de extrema emoção e drama, nesta terça-feira, em Varsóvia. No Estádio Nacional, quase lotado, a Polônia, favorita do Grupo E das Eliminatórias da Europa para a Copa-2018, recebeu a Armênia, o time mais fraco da chave e na lanterna. Ainda no primeiro tempo, os armênios passaram a jogar com dez jogadores. Na etapa final, saiu atrás, conseguiram o empate com um gol do capitão Marcos Pinheiro - brasileiro naturalizado armênio. Depois, segurou o 1 a 1 graças às defesas espetaculares do goleiro Beglaryan. Nos acréscimos, aos 48, em contra-ataque, perdeu um gol feito que resultaria numa vitória improvável e histórica. Porém, aos 50, a torcida polonesa, então calada, teve o seu momento de explosão: no último lance do jogo, o astro Lewandowski marcou de cabeça e nem teve tempo para a saída de bola. Polônia 2 a 1.

Com a vitória, os poloneses foram para sete pontos e dividem a liderança com Montenegro (que venceu a Dinamarca, fora, por 1 a 0, gol de Beciraj). Já a Armênia segue em último, zero ponto.

Nos outro jogo do grupo, no Cazaquistão, a seleção da casa ficou no 0 a 0 com a Romênia. Os cazaques têm dois pontos e os romenos, cinco.

O JOGO

Após um primeiro tempo na qual a Polônia foi superior, mas não chegou ao gol e a Armênia terminou jogando de forma mais fechada, pois teve um jogador expulso aos 30 minutos, Andonian, o segundo tempo começou com tudo. Logo aos três minutos, após bola levantada na área onde estava um bolo de jogadores das seleções, Mkoyan, que estava marcando Lewandowski, acabou fazendo contra, colocando a Polônia em vantagem para explosão dos torcedores.

Porém, dois minutos depois, em lance muito parecido, Marcos Pinheiro, cobrou falta para a área. O zagueiro Haroyan errou a cabeçada e enganou o goleiro Fabiansky. A bola passou por todo mundo e entrou. 1 a 1 e muita festa pelo gol do "brasileiro" de 32 anos que defende a Armênia desde 2008 e é o capitão da seleção.

Ciente de que perder ponto em casa para um dos adversários mais frágeis do grupo seria péssimo, a Polônia foi com tudo em busca do gol do empate, teve muitas oportunidades (uma cabeçada de Lewandowski obrigou o goleiro Beglaryan a fazer milagre) e chegou a dar espaços para perigosos contra-ataques e quase saiu de campo com a derrota. Afinal, aos 48, Ozbiliz entrou na cara do goleiro polonês e chutou para fora.

Mas camisa pesa e ter um dos maiores atacantes do mundo no elenco, também. Aos 50, no último lance do jogo, Kuba, numa falta na ponta esquerda, cruzou para a área e Lewandowski cabeceou para as redes. Polônia, líder, 2 a 1.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos