Na marra, São Paulo vira sobre o Fluminense e volta a respirar

Há vida nova no São Paulo. Quando tudo parecia perdido, quando todas estatísticas jogavam contra uma reação, o Tricolor conseguiu respirar no Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira, no Giulite Coutinho, a imagem era de um time desmoronado após péssimo primeiro tempo contra o Fluminense. O retrato do fim da 30ª rodada, porém, foi de alegria paulista com a virada por 2 a 1 e a distância de quatro pontos para a zona de rebaixamento.

Os cariocas não fizeram nada espetacular para que o placar no intervalo fosse de vantagem por 1 a 0. Aliás, Wellington fez. Sozinho, desarmou Thiago Mendes na lateral esquerda, cruzou todo o campo, passou no meio de três - com grande ajuda de Maicon - e sofreu pênalti de Denis. Com personalidade, pegou a bola e converteu a cobrança no canto direito, aos 30 minutos. Só aí os são-paulinos acordaram e acertaram a trave com o peruano Cueva, que viveu péssima noite.

Na segunda etapa, a pressão sobre Ricardo Gomes era imensa. O time sofria para criar e concluir as jogadas e já lamentava a suspensão de Buffarini diante da incerteza da presença de Bruno, lesionado, contra a Ponte Preta. Para o jogo no Morumbi, ainda ficariam fora pelo terceiro cartão amarelo Maicon e Lugano - mesmo no banco de reservas.

Era difícil acreditar em uma virada, algo que só havia acontecido em 2 de abril, contra o Oeste, no Paulistão. Kelvin entrou apagado, mas ganhou confiança a medida em que David Neres, estreante no time profissional do São Paulo aos 19 anos, mudou todo panorama da partida. Atormentou Giovanni com dribles e bons cruzamentos e deixou os companheiros com mais espaço.

Mas foi na marra que a derrota foi revertida. Na raça de Chavez, no erro de Gum e no chute de Thiago Mendes, desviado pelo próprio zagueiro fluminense, aos 26 minutos - volante paulista ainda pararia no travessão após ótimo pivô do garoto Pedro, outra aposta. E dez minutos depois a bola estava novamente nas redes cariocas. Kelvin assinou a sétima assistência no ano, em cobrança de escanteio, e Rodrigo Caio confirmou a grande fase com cabeçada certeira.

Agora são quatro pontos do São Paulo para a zona de rebaixamento, aberta pelo Vitória: 39 a 35. Os paulistas ainda celebraram a sexta vitória fora de casa no ano, a primeira no Brasileirão depois de cinco jogos Já o Fluminense, que ainda sonha em chegar à Copa Libertadores da América, leva duro golpe e para com 46 pontos, em nono. Fruto de um segundo tempo desastroso, resumido a uma bola na trave de Gustavo Scarpa e a erros infantis do setor defensivo.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 1 X 2 SÃO PAULO

?

Local: estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (RJ)

Data-Hora: 17 de outubro de 2016 (segunda-feira), às 20h (de Brasília)

Árbitro: Nelson Nogueira Dias (PE)

Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (Fifa-PE) e Bruno Cesar Chaves Vieira (PE)

Público/renda: 6.664 pagantes / R$ 158.055

Cartões amarelos: Wellington (FLU); Denis, Buffarini, Lugano (banco de reservas) e Maicon (SAO)

Gols: Wellington (de pênalti) 30' 1ºT (1-0); Thiago Mendes 26' 2ºT (1-1); Rodrigo Caio 26' 2ºT (1-2)

FLUMINENSE: Júlio César; Wellington Silva (Igor Julião - intervalo), Gum, Henrique e Giovanni; Pierre (Douglas 21' 2ºT), Cícero, Marcos Junior (Marquinho 25' 1ºT) e Gustavo Scarpa; Wellington e Richarlison. Técnico: Levir Culpi

SÃO PAULO: Denis; Buffarini (Kelvin - intervalo), Maicon, Rodrigo Caio e Mena; João Schmidt, Thiago Mendes e Wesley; Robson (David Neres 15' 2ºT), Cueva e Chávez (Pedro 29' 2ºT). Técnico: Ricardo Gomes

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos