Presidente do Figueira detona juiz do duelo contra o Verdão e Paulo Nobre

O Figueirense ainda não digeriu a derrota por 2 a 1 diante do Palmeiras, no último domingo, pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro, e supostos erros de arbitragem.

De acordo com o presidente do clube catarinense, Wilfredo Brillinger, o resultado da partida foi influenciado diretamente pelo juiz Igor Junio Benevenuto. Ao canal "ESPN Brasil", o mandatário definiu a situação como "vergonhosa", além de dizer que seu time e torcida foram feitos de "palhaços".

- O que se viu hoje foi uma vergonha, não se pode admitir que um árbitro venha aqui e faça o que o juiz fez no Orlando Scarpelli. A arbitragem nos fez de palhaços. Foram 17 mil palhaços no estádio ontem - comentou.

Wilfredo Brillinge ainda disparou diretamente contra Paulo Nobre, presidente do Palmeiras, devido a declarações que o dirigente alviverde fez durante a última semana, afirmando que o Brasileirão estaria "manchado" após a polêmica vitória do Flamengo diante do Fluminense.

- Ele (árbitro) chegou completamente pressionado pela pressão que Paulo Nobre fez durante a semana. Marcou um pênalti absurdo, logo na primeira vez que alguém do Palmeiras caiu na área. O Brasil inteiro viu que não foi nada. Isso nos deixa revoltados, pois foge do nosso controle. Nos dedicamos, procurando fazer o futebol de Santa Catarina cada vez melhor, mas, lamentavelmente, quando entra a questão do apito, nos deixa sem forças, inoperante.

Por fim, Wilfredo usou uma expressão que Nobre usou na coletiva da última sexta-feira para definir o Brasileirão: "manchado".

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos