Bayern tenta recuperação diante do PSV; Líder, Atlético visita o Rostov

A liderança do Campeonato Alemão não vem sendo suficiente para o Bayern de Munique deixar de sofrer críticas pelas suas últimas atuações. Sem vencer há três partidas, a equipe bávara tem chance de se redimir nesta quarta-feira, quando enfrenta o PSV, na Allianz Arena, às 16h45 (de Brasília) em jogo válido pela terceira rodada do Grupo D da Liga dos Campeões.

O Bayern vem de dois empates no Campeonato Alemão, contra Colônia e Eintracht Frankfurt, e uma derrota para o Atlético de Madrid, pela Liga dos Campeões. Desta forma, os germânicos estão em segundo na chave, com três pontos, contra seis dos espanhóis. PSV e Rostov, da Rússia, têm apenas um.

- Nós não estamos em crise. Ainda é muito cedo para dizer isso. Vamos ter sempre momento difíceis na temporada. Algo que pode acontecer em outubro ou janeiro. É igual em todos os clubes, mas estou confiante. As coisas estavam correndo muito bem até estes três jogos - disse o técnico Carlo Ancelotti, em entrevista coletiva.

O comandante italiano afirmou ter plena confiança em seus jogadores. O único desfalque deve ser o francês Ribéry, com problema muscular.

- Acredito nos meus jogadores, mesmo que, às vezes, fique irritado. No final, são eles que vão resolver a situação.

LÍDER, ATLÉTICO DE MADRID VISITA O ROSTOV

Na liderança do Grupo D da Liga dos Campeões, o Atlético de Madrid visita o Rostov, da Rússia, em busca da terceira vitória em três jogos na competição, que deixaria o time espanhol na boa por uma vaga nas oitavas de final.

No entanto, o técnico Diego Simeone fez questão de alertar para os perigos do time russo.

- É perigoso subestimar o Rostov. Eles são muito bons na defesa e rápidos no ataque. Quando perdem a posse, eles voltam com muita rapidez para recomposição defensiva e em busca de recuperar a bola. Vai ser muito difícil para nós contra eles - comentou o treinador, em entrevista coletiva.

Simeone não terá Moyà, Augusto Fernández e Giménez. Saúl ainda é dúvida para o confronto. Sem saber o time que vai escalar, o técnico argentino salientou que tem um bom elenco, com jogadores que podem fazer mais de uma função.

- Eu tenho uma grande variedade de jogadores talentosos a minha disposição e eles me permitem escolher o estilo de jogo para determinado adversário. No entanto, o estilo por si só não é importante, nem quem vai jogar. A coisa mais importante é o resultado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos