Leandro celebra 2016 e confia na classificação do Coritiba na Sul-Americana

A chegada de Paulo Cesar Carpegiani para comandar o Coritiba mudou a situação da equipe na tabela do Brasileirão e possibilitou a classificação para as quartas de final da Copa Sul-Americana, mas não foi só. Para Leandro, vice-artilheiro do Coxa na temporada com dez gols, foi a oportunidade de voltar a ter uma sequência como titular.

- Essa sequência é muito importante, pois você adquire ritmo de jogo e confiança. Foi isso que aconteceu comigo e acaba sendo natural ter uma melhora de desempenho. Tudo isso aliado ao bom momento do time, pois sozinho ninguém consegue nada. O time todo passa por uma boa fase e os resultados aparecem - disse em entrevista ao LANCE!.

Nesta quarta-feira, contra o Atlético Nacional, da Colômbia, Leandro e seus companheiros terão uma árdua tarefa de duelar contra os atuais campeões da Copa Libertadores no Couto Pereira, às 21h45. No entanto, isso não será motivo de temor para o elenco e sim de motivação:

- Estamos muito motivados, depois de conseguirmos avançar na competição. Sabemos das dificuldades, mas temos condições de fazer um bom resultado em casa. É um adversário complicado, mas temos de fazer valer a força do Couto para buscar essa vantagem - declarou.

A partida decisiva na competição continental acontece em um momento delicado também no Brasileirão. O risco de rebaixamento ainda está presente no dia a dia do Coxa, mas Leandro nega que o clube irá priorizar o campeonato nacional.

- As duas competições são prioridades. Vínhamos de uma sequência boa, mas acabamos não conseguindo pontuar como queríamos nos últimos jogos. Precisamos recuperar isso. Na Sul-Americana o objetivo é jogo a jogo, de ir passando de fase e tentar chegar o mais longe possível - esclareceu.

Com contrato com o Palmeiras até dezembro de 2017 e emprestado ao Coritiba até o final deste ano, Leandro não conseguiu repetir no Verdão o seu desempenho na temporada de 2013, quando foi um dos destaques no acesso à Série A do Brasileirão. A má fase do time e uma lesão foram determinantes para impedir que ele mantivesse um bom nível de atuação.

- Vivi um grande momento da minha carreira no Palmeiras, em 2013, sendo artilheiro do time e campeão da Série B. Em 2014 as coisas não aconteceram como esperava. O time todo não foi bem e individualmente você acaba não rendendo também. Ainda tive uma lesão, que me deixou fora por um bom tempo, e tudo isso acabou me prejudicando. Mas também serve de aprendizado.

Se 2014 e 2015 foram anos pouco produtivos para Leandro, em 2016 ele não pode dizer o mesmo. Com a ida para o Coritiba, o atacante viu no clube a oportunidade de recomeçar e mostrar que pode voltar a exibir o futebol que chegou a levá-lo para a Seleção Brasileira.

- Vim para o Coritiba para poder jogar e voltar a ter confiança no meu futebol. Tive um bom início, depois perdi um pouco de espaço, e agora tenho jogado sempre. Creio que o balanço, até agora, é bom. São quase 40 jogos na temporada (38 no total, sendo 25 como titular), voltei a fazer gols (dez no ano) e também a ajudar com assistências (quatro). Também completei 200 partidas na carreira e com apenas 23 anos. Acho que pode ser um recomeço e estou muito confiante - celebrou.

Por enquanto o objetivo de Leandro é fechar a atual temporada em alta, alcançando os objetivos de sua equipe e, só depois, sentar com seus pares para definir seu futuro, dentro ou fora do Palmeiras.

- Tenho pensado em ir bem e em ajudar o Coritiba. Sei que se estiver com a cabeça boa e focado, vou chamar a atenção do Palmeiras, clube com o qual tenho contrato, e também de outros clubes. Estou confiante de que 2017 vai ser um ano ainda melhor. vamos ver como as coisas vão ficar. Tenho contrato por mais um ano e vamos conversar para definir o melhor para todos - finalizou.

BATE-BOLA COM LEANDRO, ATACANTE DO CORITIBA

Teoricamente o adversário entra como favorito por se tratar do campeão da Libertadores. Isso incomoda vocês de alguma forma? Entrarão mais precavidos?

Sabemos da força deles, até pela tradição e por serem os atuais campeões da Libertadores. Mas isso não faz entrarmos mais precavidos. Acho que nos faz entrar ainda mais ligados, por saber que é um jogo complicado e um adversário difícil. Mas também temos de fazer o nosso jogo.

De que forma o elenco tem lidado com a ameaça do rebaixamento? Essa pressão chega a atrapalhar vocês?

É uma situação ruim, mas que não chega a atrapalhar. É óbvio que a gente não gosta, mas temos consciência de que o elenco é bom e não deve estar nessa situação. Vamos seguir trabalhando firmes para garantir a permanência.

As duas competições já estão em fases mais agudas. Consegue dividir as atenções e o psicológico para cada competição, mesmo que elas sejam tão diferentes entre si?

Temos que saber dividir, até porque são formatos de disputa diferentes. Precisamos entender cada partida e cada competição. Temos trabalhado bem isso e, em um momento de reta final, é mais importante ainda estar totalmente focado em cada jogo.

Você é o vice-artilheiro do time em 2016 (ao lado do Juan) com 10 gols. Marcou pelo menos um em cada competição que disputou pelo clube. Esperava esse desempenho?

Eu cheguei muito confiante e empolgado para fazer uma boa temporada. E para fazer uma boa temporada, quando falamos de atacante, os gols precisam aparecer. Tenho conseguido e acho que ainda dá para melhorar. Tenho ajudado também com assistências e outras participações. Apesar da função ser o gol e o ataque, hoje todo jogador tem de ajudar em outras coisas também e tenho procurado isso.

Fazer o gol de empate contra o Palmeiras no primeiro turno teve um gosto especial?

Foi especial pelo momento que o Coritiba vivia. Perder aquele jogo seria ruim, pois a nossa sequência não era boa. Fiquei feliz em poder ajudar, independentemente do adversário. É sempre diferente jogar contra ex-clube e, de alguma maneira, você acaba tendo uma motivação a mais.

O Coritiba ainda pega Flamengo e Atlético-MG, dois rivais diretos do Palmeiras na briga pelo título. Pretende "ajudar" seu ex-clube tirando pontos dessas equipes?

Não posso pensar assim. Tenho que pensar em ajudar o Coritiba. Mas se, indiretamente ajudar alguém, sem problemas. Tenho um carinho muito grande pelo Palmeiras, vivi lá minha melhor fase e ainda tenho um ano de contrato. Se ajudar o Coritiba e também o Palmeiras, tranquilo.

Torce pelo título brasileiro do Palmeiras? Quem será campeão?

Quando você está defendendo um clube, tem que torcer só por ele. Hoje torço pelo Coritiba, como já torci pelo Palmeiras. Mas analisando o campeonato, acho que o Palmeiras é hoje quem tem mais chances de título. Ainda tenho amigos lá e ficaria feliz por eles. Estão fazendo uma grande campanha e tem tudo para consagrar com a conquista.

Quer receber notícias do Coritiba de graça pelo Facebook Messenger? Clique AQUI e siga as instruções.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos