Oswaldo quer "dar cara" ao Corinthians e recuperar dupla em semana livre

Oswaldo de Oliveira comandou o Corinthians três vezes em seis dias e agora finalmente terá uma semana inteira para trabalhar antes da próxima rodada do Brasileirão, já que o time foi eliminado da Copa do Brasil. Nos primeiros jogos desde sua contratação, o clube obteve uma vitória, um empate e uma derrota, marcou seis gols e sofreu a mesma quantidade. A ideia de agora em diante é melhorar os números e "personificar" as atuações. Em outras palavras: Oswaldo quer dar sua cara ao time do Corinthians.

"Ainda estou dependente, colhendo informações com o Fabio Carille, tem muita coisa da equipe que não posso alterar com profundidade. Estamos no terço final do campeonato, há mais coisas sendo concluídas e não construídas. Mas o que minimamente eu posso, tenho procurado colocar. Agora teremos uma semana boa, de trabalho, terei dois dias para colocar algo mais, que também não altere fundamentalmente o que vinha sendo feito, senão pode causar confusão muito grande e complicar as coisas. Mas tenho procurado personificar a forma do Corinthians jogar", admitiu Oswaldo.

O principal ajudante do novo técnico do Corinthians neste momento de transição tem sido o auxiliar Fabio Carille, que comandou seis jogos desde a demissão de Cristóvão Borges e está no clube desde 2009. Além de Carille, Oswaldo também tem o apoio de Fernando Lázaro, coordenador do Cifut e auxiliar técnico da comissão fixa, e os dois profissionais que vieram com ele para o clube: Luiz Alberto e Thiago Larghi.

O Corinthians já volta aos trabalhos na tarde desta segunda-feira e segue a rotina todos os dias da semana até o sábado, às 16h30, quando recebe a Chapecoense em Itaquera. Há possibilidade de Camacho e Marlone voltarem ao time titular, pois, segundo Oswaldo, eles não começaram contra o Flamengo neste domingo por razões físicas.

"Alguns jogadores no Corinthians vêm numa sequência de jogos muito intensa e com desgaste. O Camacho já não jogou contra o América porque acusava contratura, era arriscado jogar aquela partida e tiramos para a Copa do Brasil - disse o treinador, que citou a importância de Willians, seu substituto, para melhorar a forma defensiva, e ainda completou:

"O Marlone não iniciou essa partida porque é um dos jogadores, como o Camacho, que vem sendo muito exigido, com sequência desgastante. Fizemos questão de poupá-lo para utilizar em um momento mais decisivo do jogo (contra o Flamengo). Mas assim que ele recuperar as melhores condições vai voltar ao time também", disse.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos