Após reunião, Engenhão continua sem luz e caso pode ir à justiça

Na manhã desta quinta-feira, o departamento jurídico do Botafogo se reuniu com a Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas (Secpar) e o resultado do encontro não foi animador. A prefeitura do Rio entende que a dívida que resultou no corte de energia do Estádio Nilton Santos é de responsabilidade do Comitê Olímpico, e não vai pagar o débito que supera R$ 1 milhão junto à Light, fornecedora de energia elétrica do município.

Deste modo, o clube enviou um documento à fornecedora no qual informa que somente no dia 19 deste mês de outubro recebeu de volta o Engenhão. Ou seja: não se considera responsável pela dívida e pede o restabelecimento da luz do local.

Como se não bastasse, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) também foi informado. Isso porque o estádio alvinegro é um dos locais de votação da eleição municipal de domingo e a energia elétrica é necessária para o funcionamento das urnas.

No que tange ao Botafogo, a principal preocupação é o show da banda americana Guns N'Roses, no dia 15 de novembro. O Engenhão foi alugado para a apresentação.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos