Santa Cruz arranca empate com Inter e continua vivo na Série A

O Santa Cruz ainda sobrevive no Brasileirão. Na noite deste sábado, os pernambucanos, que contaram com a expulsão de Eduardo Henrique, arrancaram um empate por 1 a 1 com o Inter, em um Beira-Rio quase lotado, e ganharam uma sobrevida na competição.

O jogo marcou a estreia de Adriano Teixeira no comando do Tricolor, substituindo Doriva. De quebra, o empate interrompeu uma sequência de sete derrotas do Santa. Vitinho, para o Inter e Léo Moura, do Santa, fizeram os gols do jogo.

Com o resultado, o Santa devolveu a lanterna para o América-MG, que ainda joga nesta rodada, e pulou para os 24 pontos. Em 19°, a distância do Santa Cruz para o primeiro time fora do Z4, que é justamente o Inter, é de 14 pontos. Tem mais 15 em disputa.

O jogo

O Inter começou encurralando o Santa, mas esbarrando na falta de criatividade. No entanto, a fragilidade defensiva do Santa Cruz- a pior defesa do campeonato com 59 gols sofridos- não demorou muito para aparecer.

Logo aos seis, o colorado abriu o placar: Eduardo Sasha cabeceou, Tiago Cardoso espalmou mal e William cruzou para pequena área. Vitinho, com a barriga, marcou, impedido. A arbitragem, porém, validou o gol. O herói das vitórias sobre Figueirense, Coritiba e Flamengo mostrou a sua estrela mais uma vez. Paulão e Ceará ainda tiveram boas chances.

Aos 31, na primeira grande chance, o Santa Cruz descolou o empate: o lateral-direito Vítor recebeu no seu flanco do campo, driblou Vitinho e cruzou para o também lateral-direito Léo Moura, improvisado no meio-campo, marcar de cabeça.

O Santa Cruz se animou com o empate e o Inter sentiu o gol. Keno, que se atrapalhou com a bola, Grafite, cabeceando para fora, e João Paulo, de longa distância, para fora, tiveram as melhores oportunidades de virar para os pernambucanos.

O ensaio da virada do Santa ganhou novo capítulo aos 40, quando Eduardo Henrique foi expulso após fazer falta em Roberto. O volante recebeu o segundo amarelo e foi mais cedo para o chuveiro. Dois minutos antes ele havia recebido o primeiro cartão. Alguns até diriam que era para vermelho direto já que o Santa Cruz protagonizava um agudo contra-ataque.

Apesar do cenário desfavorável, o Inter conseguiu melhorar nos minutos finais, deixando a partida equilibrada, mas ninguém terminou o primeiro tempo com mais volume de jogo.

Segundo tempo

No segundo tempo, assim como terminou o primeiro, prevaleceu o equilíbrio. Ora, o Santa foi melhor. Ora, o Inter. Em um desses bons momentos do Tricolor, João Paulo, mais uma vez arriscando de longe, quase marcou. William e Vitinho responderam na sequência.

A partir dos 15, porém, o Inter foi, lentamente, retomando o controle do jogo. Com a entrada de Valdívia, os gaúchos ganharam em qualidade na criação de jogadas. Aos 28, William recebeu na grande área. Sozinho, ele girou e arriscou com a perna esquerda. Tiago Cardoso fez um milagre entre as traves. No minuto seguinte, Valdívia cobra falta na grande área e Sasha fez para o Inter, mas a arbitragem assinalou impedimento.

No terço final do segundo tempo, um verdadeiro incêndio, dos dois lados. O equilíbrio estava de volta. Keno, de longe, e Jadson, na marca do pênalti, e, sozinho, tiveram as melhores chances para o Santa. Pelo Inter, Fabinho, de cabeça, e Aylon chegaram mais perto do desempate.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos