Saída do G6 gera cobrança e papo no Corinthians, avisa Giovanni Augusto

  • Ernesto Rodrigues/Folhapress

    Meia foi o autor do gol no empate por 1 a 1 com a Chapecoense

    Meia foi o autor do gol no empate por 1 a 1 com a Chapecoense

O empate contra a Chapecoense neste sábado em 1 a 1 atrapalhou os planos do Corinthians no Campeonato Brasileiro. Com 50 pontos, o time caiu para a sétima posição e está fora da zona que dá vaga na Libertadores de 2017 momentaneamente. Hoje atrás de Atlético-PR, Botafogo, Atlético-MG, Santos, Flamengo e Palmeiras, o time encara o São Paulo no próximo sábado, às 19h30, no Morumbi, e não pensa em qualquer resultado que não seja uma vitória para voltar ao G6.

"Tínhamos consciência da dificuldade que seria, mas como estávamos jogando em casa tínhamos responsabilidade de vencer. Hoje (segunda-feira) conversamos e sabemos que não fizemos um grande jogo. É correr atrás, temos um clássico muito difícil pela frente", disse o meia Giovanni Augusto, justamente o autor do gol no empate contra a Chapecoense, e que admitiu uma cobrança interna após o 1 a 1 em Itaquera.

"Não adianta a gente falar uma coisa e a torcida ver outra. Temos que assumir a responsabilidade. Não foi um ano dos melhores, mas acredito muito no nosso elenco, no nosso grupo, e tenho certeza que vamos classificar para a Libertadores. Só temos que focar para não ter mais erro, o momento é fundamental no campeonato. Precisamos do máximo de concentração para não sermos surpreendidos", explicou o camisa 17.

Giovanni Augusto revelou que o elenco alvinegro se reuniu e fez um pacto antes da partida contra o Flamengo, no último dia 23. Segundo o meia, o grupo notou que faltavam sete jogos para o encerramento do Brasileiro e que os compromissos definiam os classificados à Libertadores. Como motivação, o pensamento foi de que a reta final seria uma Copa do Mundo para o Timão. Desde então, foram dois empates (2 a 2 com o Fla e 1 a 1 com a Chape), mas a animação continua.

"Fizemos um pacto no jogo contra o Flamengo de que os próximos jogos seriam uma Copa do Mundo para a gente. Acredito que estamos no caminho certo. Essa situação de apareceram mais duas vagas animou outras equipes, tanto que o campeonato ali está embolado, próximo, pode acontecer de tudo. Mas eu acredito muito no nosso time, temos um grupo qualificado. Temos que ter confiança para vencer o mais rápido possível, porque o campeonato está acabando. O nosso maior título nesse ano vai ser a classificação para a Libertadores e corremos risco, porque tem equipes animadas e com chances, mas temos que procurar fazer o maior número de pontos para conseguir logo nosso objetivo", disse Giovanni, que não poupou palavras sobre a importância do próximo desafio do Brasileirão.

"Além de ser um clássico é o jogo das nossas vidas, porque quando vencemos clássico a semana muda completamente. Temos que encarar esse jogo como final de campeonato, porque o São Paulo vai encarar assim. Temos uma semana para corrigir o que fizemos de errado contra a Chapecoense e temos que ter essa conscientização de que é jogo das nossas vidas."

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos