Preparado, Marcão garante que tem liberdade para escalar o time do Flu

Logo após anunciar a demissão de Levir Culpi depois da derrota para o Cruzeiro, o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, deu pitacos de como gosta de ver a escalação do time. Em coletiva de imprensa após o treino desta terça-feira, o agora técnico Marcão jogou panos quentes na questão de uma possível interferência do mandatário na formação da equipe.

- Cada um tem uma opinião. Se a gente der um papel para cada um, vai ter uma equipe diferente para cada. Positivo o presidente ter a escolha dele, tem a razão no que fala. Eu tenho minha opinião, meu estafe tem outra. Temos que tomar a melhor decisão possível para o Fluminense conseguir uma boa vitória - garantindo que Peter deu aval para ele escalar o time que achar melhor e contando que todos agora estão com muita vontade de mudar a fase que vive o Tricolor.

- O presidente nos deixou à vontade para escalar quem a gente acha que deve ser. A preocupação nossa vai além disso. Estamos sangrando. Todo mundo quer mudar o quadro. O objetivo não é esquema ou tática, e sim, fazer um grande jogo. Acredito sim, jogo a jogo, nossa primeira final e precisamos focar nesse jogo - completou.

Mais uma vez assumindo o comando do time este ano, Marcão diz que está preparado para a missão. Ele revela que vem estudando para evoluir como treinador e sua experiência como jogador também o credencia para a função.

- A gente está dentro do clube e o presidente confia no nosso trabalho. Estudamos, falamos, nos posicionamos e temos condições. Tive vários anos dentro do campo e isso vale como referência. Estudamos táticas para num momento como esse, de responsabilidade e pressão, o presidente poder contar com nosso trabalho - disse Marcão, que vê como exemplos trabalhos nos rivais cariocas, com Zé Ricardo no Flamengo e Jair Ventura no Botafogo.

- A gente espera que possa dar certo como deu com Zé Ricardo e com Jair Ventura. Levando com positividade.

Após sua saída do clube, Levir Culpi criticou o ambiente do Tricolor. Com tantos anos de Tricolor, Marcão diz que o ambiente no clube é o melhor possível para ele.

- Eu vivo do Fluminense, adoro isso aqui. O que tenho hoje é daqui, adoro esse ambiente. É difícil explicar. Levir tinha as posições deles, temos que respeitar. Mas perguntar pra mim é covardia, de ambiente, de grupo. O que eu tenho vem daqui, não vale perguntar pra mim - afirmou o ex-jogador, que é ídolo do Flu.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos