Decisivo, Cleiton Xavier avisa: 'Todo mundo queria estar no nosso lugar'

Cleiton Xavier não é titular absoluto do Palmeiras, mas tem parcela fundamental de contribuição na campanha que pode dar ao clube o título brasileiro de 2016. Com gols e assistências, o camisa 10 já foi fundamental para a conquista de 15 pontos pelo clube alviverde, os últimos três na vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, domingo passado, quando deixou sua marca.

"Depois do jogo acho que alguém me perguntou sobre ser titular ou não. Eu falei que o mais importante de tudo é você se sentir importante. É assim que eu me sinto, independentemente de jogar 10, 15, 45 minutos... Sei da minha importância. O Cuca conversou comigo, pediu para eu me preparar porque todo mundo ia ser útil nessa reta final", disse o armador, que já atuou em 28 partidas no Brasileirão, fez quatro gols e deu seis assistências.

Além de ter sido o herói do triunfo sobre o clube colorado, no último fim de semana, o jogador já havia decidido o clássico contra o Corinthians, pela sétima rodada, no Allianz Parque, ao marcar o único gol do jogo.

Contra o Santa Cruz, pela nona rodada, Cleiton Xavier deu duas assistências na vitória de 3 a 1, em casa. Já no triunfo sobre o Vitória, por 2 a 1, pela 19ª rodada, novamente diante da torcida, o meia fez o segundo gol palmeirense.

No duelo com o Santa Cruz, no Arruda, pela 28ª rodada, saiu do banco de reservas, aos 18 minutos do segundo tempo, e, com um passe magistral, achou Roger Guedes dentro da área para definir o placar em 3 a 2 para o time alviverde.

Faltando quatro rodadas e com seis pontos de vantagem para o Santos, vice-líder, Cleiton Xavier deixa bem claro que a campanha atual está bem diferente da de 2009. Na ocasião, ele fez parte do elenco que liderava o Brasileirão, caiu de rendimento na reta final e acabou ficando fora da Libertadores.

"Nós projetamos chegar a essa situação, estar na frente na reta final. Todo mundo queria estar no nosso lugar. Tem de saber administrar, é uma boa vantagem, mas não garante nada", disse.

"Sou o único remanescente de 2009. Já falei outras vezes que é uma situação totalmente diferente. A equipe naquele ano, faltando dez rodadas, começou a cair. Hoje, não. Temos um elenco forte, que está mantendo a concentração. Faz diferença. Sempre é bom ganhar títulos, mas esse vai ter um gosto especial para mim. Quando fui embora deixei isso claro, que tinha como objetivo voltar para ganhar títulos", finalizou.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos