Solução para o ataque? Jair lembra pluralidade dos gols e Carli cita grupo

Sem balançar as redes tem quase 350 minutos - três jogos - o setor ofensivo do Botafogo deixa a desejar no final de temporada. Mas sem caça às bruxas em General Severiano. As opiniões são as mais diversas sobre o baixo rendimento nos últimos jogos. Mas a certeza de como reverter é a mesma: o trabalho em grupo. Até por isso, Jair Ventura aproveitou a coletiva desta sexta para lembrar da alta quantidade de jogadores no seu elenco que já balançaram as redes.

 

- Se você olhar, o legal da nossa equipe é que vários jogadores de outras posições e do elenco fazem gols. Logico que quando ficamos três jogos sem gols, a cobrança aumenta sobre os atacantes. Mas não tem que ter essa pressão. É um esporte coletivo. A cobrança tem que ser de todos, nas horas boas e ruins. Temos confiança de que uma hora a bola vai voltar a entrar.

 

Capitão do Botafogo, Carli compartilha da mesma ideia sobre o coletivo que o técnico. Ele aproveitou para lembrar que as secas de gols é algo do futebol.

 

- Todo mundo pergunta porque a bola não entra. Mas dentro do futebol acaba sendo assim, acontece. Agora é trabalhar para acontecer. Somos um time e todos são responsáveis - analisou o argentino e xerife da defesa do Botafogo.

 

 

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos