Vingança, Libertadores e fim de jejum movem o Corinthians diante do Inter

As principais memórias são recentes e marcantes para os dois lados: Brasileirão de 2005, rebaixamento do Corinthians em 2007, finais da Copa do Brasil e DVD do Internacional em 2009, escolha de Tite em 2014... No passado não era diferente: decisão do Brasileiro de 1976, goleada de 1992, entre outros. A rivalidade entre Timão e Colorado é inusitada, mas renderia um filme. E outro episódio pode ser encenado nesta segunda-feira, às 20h, na Arena de Itaquera, quando os dois gigantes duelam pela 36ª rodada do Brasileirão.

O Corinthians tem um ponto de desvantagem em relação ao G6, que rende vaga na Libertadores de 2017. Uma vitória é fundamental para as pretensões alvinegras nesta reta final. Já o Internacional é 17º colocado, o primeiro da zona de rebaixamento. E é exatamente o desespero colorado que tem mobilizado o Timão para o confronto desta segunda-feira.

A lembrança de nove anos atrás é inevitável: na última rodada do Brasileirão de 2007 o Inter chegou sem pretensões para enfrentar o Goiás, que brigava ponto a ponto com o Timão contra o rebaixamento à Série B. Caso não vencesse o Grêmio no Olímpico, o Corinthians precisava de um tropeço do Goiás para ficar na elite. Não foi assim.

De fato, o Timão ficou no empate em 1 a 1, mas viu o Colorado ser derrotado por 2 a 1 pelo Goiás com time misto. Resultado? Timão rebaixado e uma suspeita até hoje presente de que o Inter teria facilitado e até entregue o jogo ao Esmeraldino naquela oportunidade.

Jogadores, treinador e dirigentes do Corinthians tentam evitar o clima de rivalidade e até vingança, pela situação perigosa do Internacional na tabela de classificação, mas a torcida está mobilizada por esta meta.

- O principal fator que temos que ter nesse jogo é inteligência, porque temos condição de entrar no G6 e estamos brigando. A situação do adversário é mais delicada, mas eles que têm que resolver. Nós precisamos fazer nosso futebol, nosso dever de casa, independente da situação do adversário. A rivalidade deixamos para o torcedor, mas nós atletas não podemos entrar nessa de provocação - diz o lateral Fagner, um dos líderes do elenco alvinegro.

O Corinthians não vence há quatro partidas no Brasileirão, estagnou na sétima colocação e vê a vaga na Libertadores como um objetivo difícil de ser alcançado. Em temporada marcada por eliminações para Osasco Audax, Nacional (URU), Cruzeiro e objetivos modestos no Brasileiro, ajudar a afundar o Inter pode fazer a alegria da Fiel.

CAPÍTULOS DA RIVALIDADE RECENTE:

TÍTULO - Internacional era o líder do Brasileirão até o STJD anular 11 partidas. O Inter então ficou 11 pontos atrás do Timão, mas se recuperou e teve confronto direto na penúltima rodada. Arbitragem não assinalou pênalti de Fábio Costa em Tinga no Pacaembu e daí a rivalidade renasceu na dupla.

QUEDA - Corinthians alega desde 2007 que o Inter entregou ao Goiás o resultado da última rodada do Brasileirão. Denúncias jamais foram comprovadas no tema.

DVD - Equipes se cruzaram na final da Copado Brasil de 2009. Para tentar evitar interferências da arbitragem, diretoria do Inter preparou um DVD com erros em jogos do Timão. O fato irritou o clube paulista, que venceu o torneio e desde então faz ironias sobre o assunto quando vence: "Põe no DVD".

TITE - Treinador recebeu propostas dos dois clubes no fim de 2014. A do Inter era financeiramente mais vantajosa, mas o técnico preferiu voltar para o Timão.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos