Com consciência tranquila, Marcão revela: 'Fizemos o máximo. Dói muito'

A decepção pela série de resultados ruins era clara no tom de voz de Marcão, técnico do Fluminense, após a derrota para a Ponte Preta, em Campinas, neste domingo. Apesar do abatimento, o comandante tricolor revelou estar com a consciência tranquila pelo trabalho realizado desde o dia 8 de novembro, quando assumiu o cargo de Levir Culpi após a derrota para o Cruzeiro.

- Temos feito o máximo. A gente vive disso, vive do futebol. Acaba o jogo e já estamos pensando no próximo. Dói bastante, nossos familiares sabem que a gente não dorme direito. É muito doloroso. Nosso torcedor é muito compromissado com a instituição e queremos dar o retorno para eles - disse Marcão após a partida no Moisés Lucarelli, a sua segunda no Brasileirão.

Sob o comando de Marcão, o Fluminense optou pelos treinos fechados no CT Pedro Antonio. Mas, de acordo com os jogadores, as atividades foram de alta qualidade e intensidade, o que não significou grandes mudanças em campo.

O empate com o Atlético-PR, no Maracanã, e a derrota para a Macaca, em Campinas, aumentaram o jejum do Tricolor no Campeonato Brasileiro para oito jogos. Além disso, o Flu não tem mais chances de terminar o torneio no G6 e, de acordo com Marcão, jogará apenas pela dignidade na reta final de 2016.

Restam os jogos contra o Figueirense, no próximo domingo em Florianópolis, e Internacional, no dia 4 de dezembro no Maracanã. O elenco do Tricolor está de folga e retorna os trabalhos nesta terça-feira, às 16h, no CT Pedro Antonio.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos