Vice-presidente do Comitê Olímpico do Quênia é preso

Foi preso, nesta segunda-feira, em Nairobi, o vice-presidente do Comitê Olímpico do Quênia e da Federação de Natação, Ben Ekumbo. A prisão decorre de investigações sobre um esquema de roubo de equipamentos esportivos por dirigentes quenianos, chegando ao equivalente a R$ 27 milhões. No momento da prisão, o político estava em casa, escondido debaixo da cama. Em sua casa e em seu carro foram encontradas caixas de tênis e uniformes esportivos que deveriam ter sido entregues aos atletas que competiram na Rio-2016.

Quatro outros dirigentes já haviam sido presos: Stephen Arap Soi (líder da equipe do país na Olimpíada), Pius Ochieng (outro vice-presidente do Comitê Olímpico do Quênia) e Francis Kinyili Paul (secretário-geral). Todos foram presos acusados deroubar kits da Nike, porém foram soltos após pagamento de fiança. Tesoureira da entidade, Fridah Shiroya também foi presa e deve testemunhar.

Na Rio-2016, o Quênia teve a melhor performance olímpica da história do país, com treze medalhas (6 ouro, 6 prata e 1 bronze), todas no atletismo. Porém a delegação ficou hospedada de comunidades cariocas após o fim dos Jogos enquanto aguardavam voltar ao país em voos mais baratos. Além disso, o chefe da delegação de atletismo, Mmichael Roptich, foi preso por exigir propina aos atletas em troca de proteção nos exames antidoping.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos