Justiça Desportiva do Atletismo expulsa treinador

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) anunciou nesta quarta-feira que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Atletismo (STJD) atendeu à denúncia da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) contra o técnico Ronaldo Quirino de Moraes (GO), suspendendo-o de forma definitiva da modalidade.

A denúncia foi feita pelos atletas, e parentes de Moraes, Sueli Pereira da Silva e Ronald Moraes. Em seus depoimentos, a mulher e filho os treinador afirmaram, nos processos 002/2016 e 003/2016, que era ele quem aplicava a substância proibida pela WADA/IAAF , a eritropoeitina.

Sueli e Ronald foram suspensos por serem flagrados com a substância quanto participaram da Corrida de Reis, em 10 de janeiro deste ano. A eritropoeitina aumenta a produção de glóbulos vermelhos, aumentando a absorção de oxigênio e, consequentemente, a energia do atleta. A maratonista que chegou em 4º na São Silvestre do ano passado, foi suspensa por de quatro anos, assim como seu filho.

' O treinador foi julgado pela Comissão Disciplina Nacional (CDN) do STJD do Atletismo, no dia 24 de outubro de 2016, ficando configurada a infração das Regras da IAAF e da WADA, no que tange as sanções à "equipe de apoio do atleta", tendo a CBAt recebido a decisão nesta data, uma vez que foram esgotados todos os prazos de recurso contra a mesma'.

Em apoio a decisão do STJD do Atletismo, a CBAt suspendeu o treinador de forma vitalícia, além do cancelamento imediato o seu registro de treinador nesta entidade.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos