Agência Antidoping rebate Lyoto Machida: 'Alto grau de negligência'

Flagrado pelo uso de doping (7-Keto-DHEA), Lyoto Machida demonstrou toda insatisfação com a pena de 18 meses imposta pela USADA (Agência Antidoping Americana), já que contribuiu com a investigação e esperava uma punição mas branda, conforme externou em entrevista ao "Combate".

Representante da USADA, Ryan Madden rebateu as declarações do brasileiro, que considerou rígida a pena e garantiu que Lyoto Machida pecou pelo seu alto grau de negligência.

- Toda a situação poderia ter sido evitada se o Sr. Machida tivesse usado os recursos disponíveis a ele para ver se o produto era permitido sob a política antidoping do UFC. Teria sido muito fácil, tudo o que ele tinha que fazer era visitar a GlobalDRO.com - uma fonte na qual todos os atletas se educam - e procurar por 7-Keto-DHEA. Ele também poderia ter falado conosco diretamente. Dentro de minutos, ele poderia ter determinado que seu produto não era seguro para se usar de acordo com o Programa - disse o dirigente, que suspeita porque a equipe do ex-campeão não recorreu da sentença.

- Acho que é totalmente possível que, devido ao grau de negligência do Sr. Machida - que, com toda honestidade, é extremamente alto -, sua equipe tenha decidido aceitar os 18 meses de punição ao invés de arriscar pegar um gancho completo de dois anos imposto por um árbitro - completou.

A atual punição mais usual para os lutadores flagrados no doping no UFC é de dois anos, mas Lyoto conseguiu uma redução de sua pena em seis meses por ter assumido o uso da substância proibida.

Ex-campeão dos meio-pesados, Machida não compete desde julho do ano passado, quando acabou nocauteado pelo cubano Yoel Romero. Como a pena de Lyoto é retroativa referente a abril, o brasileiro já pode retornar ao octógono em novembro do ano que vem.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos