COB adia prêmio pela primeira vez desde 1999

Segundo a Folha de S. Paulo, a cerimônia de premiação do Prêmio Brasil Olímpico, realizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COI), ocorrerá em março de 2017, ao invés de dezembro deste ano. O prêmio elege os melhores técnicos e atletas de cada modalidade e os melhores no ano. Em 2015, Ana Marcela Cunha e Isaquias Queiroz foram considerados os melhores do ano.

A mudança da data, que se mantém desde a criação da premiação, em 1999, surpreendeu as confederações esportivas associadas ao COB. A entidade enviou um comunicado interno, em novembro, avisando sobre a alteração.

O entidade olímpica nacional explicou à Folha que o adiamento está relacionado ao local do evento. O desejo é que a premiação ocorra no Theatro Municipal do Rio, que está com problemas relacionados à greve de funcionários por falta de pagamento.

- O COB quer fazer a cerimônia no Theatro Municipal e, diante do momento delicado do teatro, com a possibilidade de greve, o COB optou por adiar a premiação para março de 2017 - disse o comitê, por meio de sua assessoria.

Sobre a escolha do Municipal e se este terá condições de receber a premiação, o COB afirmou:

- O Municipal é um ícone da cidade do Rio e o COB decidiu que esta edição do prêmio deveria ser realizada no local.

A premiação já ocorreu no teatro do Museu de Arte Moderna do Rio e até em um shopping de São Paulo, em 2013.

Para 2017, o comitê deve ter uma significativa perda na arrecadação da Lei Piva, que lhe destina verba de loterias federais. De R$242 milhões, em 2016, a entidade deve receber, no próximo ano, R$ 200 milhões.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos