Segundo Anac, pane seca foi decisiva para acidente com o avião da Chape

Uma das hipóteses para o acidente envolvendo o avião que transportava a delegação da Chapecoense e jornalistas foi confirmada pelas autoridades da Colômbia nesta quarta-feira. Segundo informações, aeronave viajava com menos combustível do que exigido por lei e isso pode ter causa uma pane seca.

- Uma das hipóteses que trabalhamos é que [o avião] não contava com combustível e que, por isso, tenha apagado subitamente os motores. Motores são a fonte elétrica. Você pode ter uma turbina adicional, mas se não tinha combustível, vai ter uma pane elétrica - disse Fredy Bonilla, secretário de Segurança Aérea da Aeronáutica Civil da Colômbia.

- As normas internacionais exigem que qualquer aeronave deve viajar com combustível suficiente para chegar ao aeroporto de destino, mais 30 minutos e ainda mais 5 minutos ou 5% da distância, que é o combustível reserva. Neste caso, lamentavelmente, a aeronave não contava com combustível suficiente. Vamos investigar para saber por que a tripulação não contava com combustível suficiente - completou.

Aeronave precisava ter combustível por pelo menos mais uma hora de voo, seguindo os regulamentos de tráfego aéreo da Bolívia. Era necessário também fazer a rota prevista do tempo real de viagem, pensando na hipótese de ter que pousar em outro aeroporto.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos