Funcionária de aeroporto alertou piloto sobre risco de falta de combustível em avião

A investigação em torno da queda do avião que transportava a delegação da Chapecoense e jornalistas à Colômbia trouxe mais um desdobramento. Nesta quinta-feira, o "Jornal Hoje" divulgou que uma funcionária do aeroporto de Santa Cruz de la Sierra (BOL) disse às autoridades que alertou o representante da LaMia de que a quantidade de combustível na aeronave era insuficiente para chegar a Medellín (COL).

Além disto, a chance de pousar em outro aeroporto em caso de emergência era rechaçada. Segundo informações, a funcionária foi afastada nesta manhã.

Em entrevista a uma emissora colombiana, o secretário de segurança da autoridade de aviação civil da Colômbia, Freddy Bonilla, confirmou o que o piloto da aeronave, Miguel Quiroga, reclamava:

- Quando chegamos ao local do acidente e pudemos inspecionar os destroços, confirmamos que a aeronave não tinha combustível no momento do impacto.

A queda do avião causou a morte de 71 pessoas, e seis estão feridas.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos