Branco fala de tristeza no vestiário e sugere encerramento do Brasileirão

O assessor da presidência do Figueirense, Branco endossou o coro puxado por alguns dirigentes e jogadores, e também sugeriu que o Campeonato Brasileiro seja encerrado após a 37° rodada.

Ele destacou que que os jogadores do Figueira, clube rival à Chapecoense, não têm cabeça para jogar até o final da temporada. O tetracampeão mundial em 1994 afirmou que os atletas mal se falam nos vestiários. Estão todos em silêncio.

- Está difícil. Imagina o clima que está no vestiário. Os jogadores estão em silêncio, ninguém fala nada, todo mundo está transtornado com essa desgraça que aconteceu. Perdemos muitos amigos. Caio Júnior era meu parceiro, os jogadores, a comissão técnica. A CBF poderia até acabar o campeonato. Não sei a cabeça que os jogadores vão ter para pegar um voo. A gente vai pra Recife, os jogadores tem que entrar em campo e jogar. Não é só aqui, não. Todo mundo está triste. O clima está muito para baixo - afirmou.

- Se fizer um levantamento em todos os clubes do Brasil, todos têm o mesmo pensamento. Quantos amigos se foram? Jogadores, comissão técnica. Está todo mundo para baixo. É lógico que tem quem tem seus interesses. Imagino só a imagem dos corpos no gramado. O mundo se comoveu. Está sem clima. A CBF transferiu para o dia 11, não sei se seria o ideal jogar, é que tem jogos, decisões, principalmente embaixo, mas o clima é terrível e péssimo - completou.

Como uma forma de homenagear as vítimas do trágico acidente aéreo, o clube decidiu colocar na sala de imprensa o nome do jornalista do Diário Catarinense, André Podiacki o Podi, uma das vítimas do acidente. Além dele, Djalma Araújo, cinegrafista do RBS, receberá o nome da sala de imprensa do Centro de Formação e Treinamentos, o CFT.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos