Milan tem sua venda a investidores chineses adiada para março

Definida em agosto por 740 milhões de euros (R$ 2,7 bilhões), a venda de 99% das ações do Milan foi adiada de 13 de dezembro para o dia 3 de março. O anúncio foi feito, nesta quarta-feira, pela Fininvest, holding do presidente Silvio Berlusconi, e a Sino-Europe Sports, que representa os compradores asiáticos.

Além disso, também foi divulgado que a companhia chinesa se compromete a um novo adiantamento de 100 milhões de euros (R$ 364 milhões) até o próximo dia 12, que se somaria aos outros 100 milhões de euros que já foram pagos.

- O Finivest e o Mas-Europe firmaram um acordo para adiar ao dia de 3 março de 2017 o fechamento da compra e da venda das cotas da empresa que correspondem ao Milan - diz a nota.

Quando o acordo for finalizado, Berlusconi deixará o Milan após passar 30 anos na presidência do clube rossonero, onde presenciou 28 troféus, entre eles cinco títulos da Liga dos Campeões.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos