Wada diz que mais de mil russos se doparam em esquema do governo

A segunda parte de um relatório produzido por uma comissão da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês) divulgado nesta sexta-feira, em Londres, afirma que mais de mil atletas russos se beneficiaram do esquema de doping patrocinado pelo governo. Eles seria de 30 esportes de verão, inverno e paralímpicos.

As conclusões foram apresentadas pelo professor Richard McLaren, em uma continuação das investigações que levaram à suspensão de toda a delegação da Rússia do atletismo dos Jogos Olímpicos Rio-2016, em agosto, bem como todo o país dos Jogos Paralímpicos.

Uma das novidades apresentadas pelo professor foi que até sal e café eram utilizados para manipular amostras de urina com substâncias ilícitas e, assim, enganar a Wada. Funcionários do laboratório de Moscou, atualmente descredenciado, trocavam amostras contaminadas por outras limpas. O esquema foi usado com eventos como o Mundial de Atletismo de 2013 e os Jogos de Inverno de Sochi 2014.

- Amostras de duas jogadoras de hóquei continham DNA masculino, e oito

amostras coletadas em Sochi relevaram quantidades de sal fisicamente impossíveis para um humano saudável.

O sistema de dopagem envolveu atletas, treinadores, médicos, a agência antidoping russa (Rusada) e membros do governo.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos