No Conselho, São Paulo mostra dívida de R$ 21 milhões com diretor

A reunião do Conselho Deliberativo da última terça-feira em que os conselheiros reprovaram o contrato com a Globo também serviu para o São Paulo atualizar a situação financeira. Um dos pontos apresentados foi o débito com o diretor de marketing Vinicius Pinotti, que aumentou este ano em R$ 8 milhões. Responsável pelo empréstimo para a contratação do meia-atacante Ricardo Centurión, em janeiro do ano passado, Pinotti tem crédito de R$ 21 milhões com o Tricolor.

O valor é superior ao que foi desembolsado por Centurión. Na época, foram gastos 4 milhões de dólares (cerca de R$ 13 milhões) com o jogador destaque do Racing (ARG). Explica-se: o diretor de marketing fez mais aportes este ano.

Em situação financeira delicada há tempos, o São Paulo precisou da ajuda de seu diretor para quitar salários atrasados de jogadores, como de Alexandre Pato no ano passado, e do elenco deste ano. O clube chegou a dever três meses de direitos de imagens ao grupo no início de 2016, o que gerou uma greve de silêncio por parte de alguns jogadores e um racha consequente no elenco.

Os aportes de Pinotti são favoráveis ao São Paulo porque os juros são menores do que o clube conseguiria indo a bancos, e os prazos, maiores. No entanto, fazem parte da dívida total do clube da mesma forma.

O diretor de marketing, além da ajuda direta, tem sido o responsável por uma das principais fontes de receitas do clube. De outubro do ano passado, quando começou a gestão de Carlos Augusto de Barros e Silva até agora, Pinotti saiu de zero para cerca de R$ 35 milhões em patrocínios de camisa. O último parceiro fechado para 2017 foi a Urbano, empresa do ramo alimentício. O diretor também é um dos maiores defensores no clube de uma política de ingressos com preços mais baixos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos