Autoridade russa admite esquema antidoping

Em entrevista ao jornal americano The New York Times, a diretora geral da agência nacional de doping da Rússia (Rusada), Anna Antseliovich, admitiu que houve um esquema, com auxílio do governo russo, para burlar o controle antidoping de seus atletas. Até então, a Rússia afirmava que o escândalo não passava de especulações do ocidente.

Segundo Antseliovich, existiu uma conspiração institucional que chegou a envolver o serviço secreto russo, federações e centenas de atletas. A reportagem explica que um diretor do laboratório manipulou o material colhido nos Jogos Olímpicos e também providenciou coquetéis para aprimorar a performance dos atletas. Além disso, membros do Serviço Secreto Federal também violaram materiais colhidos e um vice-ministro do esporte garantia que todos os atletas usuários de substâncias dopantes não fossem descobertos.

Segundo a reportagem, a mudança no discurso pode decorrer do desejo dos russos em fazer as pazes com o Comitê Olímpico Internacional (COI), já que podem ser alvo de uma severa punição diante do relatório elaborado por Richard McLaren à Agência Mundial Antidoping (Wada, em inglês). O texto contem detalhes sobre o esquema russo.

Segundo Antseliovich, os altos membros do governo desconheciam a manobra, contrariando o que a Wada denuncia. Atletas que revelaram o esquema também insistem que o governo tinha conhecimento de tudo.

Para as autoridades russas, o esquema não é uma exclusividade da Rússia, mas sim um problema de todo o sistema.

- É o sistema que está falido - disse Victor Berezov, advogado do Comitê Olímpico Russo.

A Rússia também alega não ter a chance de se defender.

- O sentimento na Rússia é de que não tivemos a oportunidade de nos defender - afirmou Vitaly Smirnov, responsável pela reforma do sistema antidoping da Rússia.

O outro lado

Pouco tempo depois da publicação da matéria do jornal norte-americano, a Rusada, emitiu uma nota oficial negando as informações contidas no texto. Segundo a entidade, as palavras de Anna Antseliovich foram colocadas fora de contexto, dando a intender que ela confirmava as acusações.

- Durante conversa entre A.A. Antseliovich e a jornalista Rebecca Ruiz, a Diretora Geral apontou que na segunda parte do relatório publicado no dia 9 de dezembro de 2016, Richard McLaren não estava mais usando as palavras 'sistema de doping patrocinado pelo Estado' e, no lugar, usou 'conspiração institucional', excluindo o potencial envolvimentos de altos oficiais russos - diz a nota.

A agência também afirma não ter o poder necessário para afirmar nada a respeito deste tema.

- Gostaríamos de salientar que a Rusada não tem autoridade para admitir ou negar tal fato, já que a investigação do caso é tratada pela Comissão de Investigação da Federação Russa.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos