Após quase dois anos, torcedores do Chelsea são condenados por racismo

Os quatro torcedores do Chelsea que impediram a entrada de um homem no metrô de Paris, em fevereiro de 2015, foram condenados por racismo violento com agravantes pela justiça francesa. Os ingleses vão precisar pagar 10 mil euros (cerca de R$ 40 mil) e cumprir pena, que varia de seis a 12 meses, em liberdade condicional.

O episódio aconteceu antes da partida entre Paris Saint-Germain e Chelsea, válida pelo jogo de ida das oitavas da Liga dos Campeões, em 17 de fevereiro de 2015. Joshua Parsons, James Fairbairn, Richard Barklie e William Simpson empurraram o francês Souleymane Sylla para fora do vagão do metrô enquanto cantavam "nós somos racistas, nós somos racistas, é assim que nós gostamos".

De acordo com a Reuters, Richard Barklie e William Simpson receberam 12 meses de medida. Josh Parsons recebeu oito meses e James Fairbairn seis. Os dois últimos estavam presencialmente no tribunal. Após o julgamento, Souleymanne disse não acreditar nas vítimas quando dizem que não foram racistas e comemorou que a justiça foi feita.

- Ele disse que sente muito, mas é assim...É o que ele diz (que não foi racista), mas todo mundo sabe o que aconteceu, não preciso repetir. É um sentimento de justiça que eu vejo e que a justiça foi feita. Eu agradeço ao meu advogado e todas as associações.

O próprio Chelsea já havia banido os torcedores do Stamford Bridge. A justiça britânica também chegou a banir os quatro de qualquer jogo de futebol por um período de três a cinco anos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos