Protagonismo aos atletas, esforço de auxiliar e filosofia: o 1º dia de Ceni

A trajetória de Rogério Ceni como treinador teve capítulo marcante na última quarta-feira, o primeiro dia de trabalho com os jogadores. O Mito, que no início da semana participou de treinos do sub-17, tenta imergir cada vez mais na função e na realidade do clube. Quer ser apenas uma engrenagem para que os jogadores possam atuar sem pressão.

Esse foi um dos temas da conversa que aconteceu pela manhã no auditório de preleções do CT da Barra Funda. Animado e sereno, Ceni explicou a filosofia de jogo e os métodos que pretende implantar no Tricolor, mas repetiu diversas vezes que o protagonismo do clube é sempre dos jogadores. "Só estou aqui para ajudar vocês", afirmou.

O inglês Michael Beale, que será auxiliar de campo do Mito, também conversou com os jogadores. E em português, apesar das dificuldades de quem estuda o idioma somente há três semanas. Já o francês Charles Hembert, que só deve ter cargo anunciado nesta quinta-feira durante a coletiva de apresentação da comissão técnica, teve o português elogiado.

Funcionários do São Paulo se impressionaram com a decisão de Ceni e dos estrangeiros em conversar com a equipe de infraestrutura e manutenção do CT. Faxineiras, jardineiros, empregados da cozinha e de outras áreas ouviram do Mito que terão papel tão fundamental quanto o dele na condução do Tricolor aos melhores resultados em campo.

À tarde, quando comandou o primeiro treino, foi a vez dos jogadores se surpreenderem - e aprovarem - o aquecimento baseado em um jogo de futebol americano. O clima ficou ainda mais leve e animado quando Ceni aplicou treino com bola, fazendo diversas paralisações para alterar formato do campo e objetivos da atividade. Ao todo, como prometeu, o trabalho durou 70 minutos.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos