Marlone mostra gratidão ao Corinthians e projeta prêmio Puskás

Antes de viajar à Suiça neste sábado para a cerimônia da Fifa, o meia-atacante Marlone falou sobre sua situação no Corinthians. O jogador recebeu proposta do Atlético-MG, mas o Timão endureceu e não deve liberá-lo.

- A princípio, sou jogador do Corinthians, estou feliz no Corinthians. O que eles fizeram por mim é algo que nunca vou esquecer. Pelo simples fato de cantarem meu nome no estádio me pedindo, sendo que não sou nada, não tinha identificação com o clube, porque eu não tinha nenhuma história no clube. Na lógica, a torcida pede um ídolo. Nesse momento eu estava reserva, e a torcida comprou um barulho, e eu tive a chance de fazer esse gol. Espero repetir mais vezes - disse Marlone, em entrevista ao SporTV.

Marlone vai para Zurique, na Suiça, em busca do prêmio Puskás, que é o de gol mais bonito do mundo em 2016. O marcado por ele diante do Cobresal (CHI), na última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, em lindo voleio após matar a bola no peito, concorre com os do malaio Mohd Faiz Subri e da venezuelana Daniuska Rodríguez.

- Estou ansioso. Esses dias estava até com caspa na cabeça de ansiedade. Mas que bom que estou indo conhecer a Europa com a chance de trazer um prêmio individual. Já separei o terno, para ir bonitinho, um broche para representar o Corinthians. É uma forma de gratidão por ter me proporcionado esse momento, a chance de fazer o gol - afirmou Marlone, antes de projetar a possível conquista do prêmio.

- Acho que voltaria com outra imagem, porque é um prêmio mundial, que representa o maior evento da Fifa. Nossa imagem valoriza, traz um respeito. Volto mais confiante, mas feliz, não que eu não estava, mas incentivado que posso conseguir mais coisas, títulos - analisou.

Ele viaja ao lado da esposa Caroline e da filha Antonella, e carregando na bagagem um terno novo, preto, de grife, que comprou no Brasil. Para ornamentar o visual ele usará um bottom do Timão na lapela do paletó durante a premiação.

Marlone não se reapresentará ao Corinthians no dia 11 de janeiro, como o restante do grupo. Mas isso só ocorrerá porque é neste dia que ele volta da Europa. O retorno aos trabalhos acontecerá normalmente no dia seguinte.

O jogador do Timão pode tornar-se o terceiro brasileiro a ter o prêmio Puskás. Neymar venceu em 2011, enquanto Wendel Lira ganhou no ano passado.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber notícias de esporte de graça pelo Facebook Messenger?
Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos